Câmara de São Gonçalo discute feminicídio

Vereadores recebem representantes femininas em audiência pública

Escrito por Redação 15/03/2018 09:18, atualizado em 15/03/2018 09:15

Professor Paulo, que convocou a audiência pública, quer discutir políticas públicas sobre o tema
Professor Paulo, que convocou a audiência pública, quer discutir políticas públicas sobre o tema . Foto: Divulgação

A Câmara de Vereadores de São Gonçalo realiza, na próxima segunda-feira, às 17h, audiência pública para debater as temáticas do assédio sexual e feminicídio, além de elaborar políticas públicas sobre o assunto e do empoderamento feminino.

“Comportamentos machistas não são mais tolerados em nossa sociedade. Portanto, é preciso combater a objetificação das mulheres, exaltar a figura feminina como sujeito de direitos, repelindo os estereótipos, buscando a equidade entre gêneros. A violência praticada contra elas é uma realidade muito dura, que nos impõe medidas urgentes a fim de dar um basta”, disse o vereador Professor Paulo (PCdoB).

De acordo com pesquisa realizada pela Polícia Civil, no período que compreende março de 2015 a março de 2016, dos 132 casos de mulheres assassinadas que foram investigados pela Delegacia de Homicídios de Niterói, Itaboraí e São Gonçalo (DHNISG), 48%, ou seja, 63 mortes foram consideradas feminicídios.

Nos últimos anos, de acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), ao menos, 50 mil mulheres foram mortas no Brasil em decorrência do gênero. O estudo mostra também que cerca de 15 mulheres são assassinadas por dia em todo território nacional por este motivo.

Foram convidadas para participar da audiência pública, a mestre em serviço social da UFRJ, membro do Movimento de Mulheres de São Gonçalo, Marisa Chaves; a Delegada da 72ª DP (Mutuá), Carla Tavares; a advogada e presidente da União Brasileira de Mulheres (UBM), Jupira Oliveira; a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB); a secretária municipal de Políticas Públicas para o Idoso, Mulher e Pessoa com Deficiência, Marta Maria Figueiredo e Cristiane Rocha da Silva, que ficou cega após sofrer tentativa de feminicídio.

A Câmara de São Gonçalo fica na Rua Doutor Francisco Portela, nº 2814, Zé Garoto.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas