Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,3317 Euro up 5,5605
Search

União e Estado se unem em busca de segurança

Objetivo é estabelecer um plano de metas das forças integradas

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 14 de janeiro de 2018 - 08:58
Os gestores da esfera estadual fizeram uma reunião para traçar as metas para cooperação integrada e enfrentamento de crimes federais
Os gestores da esfera estadual fizeram uma reunião para traçar as metas para cooperação integrada e enfrentamento de crimes federais -

O Governo do Estado e a União assinaram, no Palácio Guanabara, um protocolo de intenções para a cooperação integrada e enfrentamento de crimes federais. Em reunião da qual participaram o governador Luiz Fernando Pezão, os ministros Raul Jungmann (Defesa), Torquato Jardim (Justiça) e Osmar Terra (Desenvolvimento Social e Agrário), além do ministro chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, general Sergio Etchegoyen, e representantes de todas as forças de Segurança, ficou definido que haverá um cronograma de encontros para alinhar as ações conjuntas.

A presença de forças federais no Rio de Janeiro está assegurada até o fim do ano por decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) assinado pelo presidente Michel Temer.

A reunião desta sexta foi a segunda dessa fase da integração entre Estado e União – no último dia 4 houve um encontro em Brasília - e já há outra marcada, que ocorrerá no dia 19 de fevereiro. O objetivo é estabelecer um plano de metas das forças integradas, com prestação de contas à sociedade.

“Acredito que esse trabalho conjunto será um piloto que vai servir para o país inteiro. Essa integração vai ter que ocorrer, com envolvimento de prefeituras, administrações estaduais e governo federal. Esse é um legado que vamos deixar. Estamos fazendo o dever de casa. Tem muito a ser feito, nós estamos começando a colher os primeiros frutos”, disse Pezão.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que a cooperação entre as forças de segurança vão se intensificar. Ele explicou que foram definidos “dois produtos” que merecem destaque: um plano de segurança integrado para os governos e indicadores de metas e resultados.

Matérias Relacionadas