"Separar o joio do trigo", diz Mendonça após voto contra Daniel Silveira

Voto do ministro, que foi indicado por Bolsonaro, decepcionou evangélicos

Escrito por Redação 21/04/2022 14:36, atualizado em 21/04/2022 14:36
O ministro disse que, apesar das críticas, está convicto de sua decisão
O ministro disse que, apesar das críticas, está convicto de sua decisão . Foto: Divulgação/Agência Brasil

O ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), se defendeu nesta quinta-feira (21) das críticas que vem sofrendo de evangélicos e bolsonaristas após votar a favor da condenação do deputado Daniel Silveira por incitar violência contra os ministros da Corte. 

"Sinto-me no dever de esclarecer que: [a] como cristão, não creio tenha sido chamado para endossar comportamentos que incitam atos de violência contra pessoas determinadas”, disse o ministro nas redes sociais, que continuou dizendo que é preciso separar o trigo do joio e que está convicto de sua decisão.

“Como jurista, a avalizar graves ameaças físicas contra quem quer que seja. Há formas e formas de se fazerem as coisas. E é preciso se separar o joio do trigo, sob pena de o trigo pagar pelo joio. Mesmo podendo não ser compreendido, tenho convicção de que fiz o correto”, completou.

Com o voto de Mendonça, o STF condenou por 10 votos o deputado Daniel Silveira a 8 anos de prisão por ameaças e incitar violência contra os integrantes da Corte. O Supremo também determinou a perda do mandato de Silveira. O único ministro que votou pela absolvição do deputado foi o ministro Kássio Nunes Marques, também indicado por Bolsonaro, assim como Mendonça.

O voto de Mendonça decepcionou principalmente o presidente Jair Bolsonaro, além de evangélicos e aliados do líder do Executivo. De acordo com interlocutores da presidência, havia expectativas de que Mendonça pedisse vista do processo, o que causaria uma interrupção do julgamento.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas