Moraes determina que Bolsonaro seja ouvido sobre inquérito vazado

O Ministro do STF já tinha definido um prazo até a sexta pra PF ouvir o presidente, mas não houve agendamento

Escrito por Redação 27/01/2022 21:08, atualizado em 27/01/2022 21:08
Ministro deseja conclusão desse inquérito após interrogatório
Ministro deseja conclusão desse inquérito após interrogatório . Foto: Nelson Jr./SCO/STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou nesta quinta-feira (27) o colhimento feito pela Polícia Federal até está sexta-feira (28) do depoimento do presidente Jair Bolsonaro, referente ao inquérito da apuração dos documentos sigilosos que foram vazados durante uma transmissão de Bolsonaro nas redes sociais.

Moraes negou o pedido do presidente para abrir mão de ser ouvido durante a investigação, definindo que seu depoimento tem que ser prestado no início da tarde, na Superintendência da PF em Brasília.

O ministro também retirou o sigilo da investigação e ordenou a conclusão do inquérito, após o interrogatório.

Em uma decisão feita em 2021, o ministro do STF já tinha estabelecido o prazo do recolhimento do depoimento do presidente, a PF tem até sexta-feira para ouvir. Porém até a tarde desta quinta—feira, penúltimo dia do prazo, o depoimento ainda não tinha sido agendado.

O inquérito foi aberto para investigação após Bolsonaro divulgar em suas redes socias, os dados e documentos sigilosos de um inquérito que não tem conclusão, referente aos ataques feitos ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral.

Bolsonaro publicou um link com a íntegra do inquérito sigiloso, que a PF não concluiu, sobre o hacker que conseguiu acesso aos código-fonte das urnas eletrônicas em 2018. Porém isso não afetou o resultado das eleições.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas