Projeto altera norma sobre criação de passarinhos

A medida ainda precisa passar por uma segunda discussão na Alerj

Escrito por Redação 03/12/2021 08:49, atualizado em 03/12/2021 08:58
Deputado Luiz Paulo (Cidadania)
Deputado Luiz Paulo (Cidadania) . Foto: Foto Thiago Lontra

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou em primeira discussão, nesta quinta-feira (02/12), o projeto de lei 5.147/21, de autoria original do deputado Luiz Paulo (Cidadania), que altera a Lei 6.908/14, sobre a criação e torneios de passarinhos. A medida precisa passar por uma segunda discussão na Alerj.

A nova medida determina que os criadores amadores de pássaros podem solicitar ao Instituto Estadual do Ambiente (Inea) até 50 anilhas por ano. Atualmente, os criadores podem solicitar até 125 anilhas anualmente.

“A Lei 6.908 de 2014 nasceu porque era o IBAMA quem regulava a criação de pássaros. Houve um convênio sobre o tema, delegando essa responsabilidade aos estados. Então, com essa medida, trouxemos praticamente a instrução normativa do IBAMA para o estado do Rio. Foi a primeira lei nacional e hoje muitas unidades da federação já tem leis copiadas da nossa”, explicou o deputado Luiz Paulo (Cidadania). “Estamos propondo alguns ajustes burocráticos para que o INEA dê mais agilidade aos processos”, comentou.

O novo projeto também altera algumas regras para os torneios de canto entre os passarinhos. Os realizadores deverão solicitar permissão ao INEA com pelo menos quinze dias de antecedência, informando o endereço completo do local, as datas e o horário do evento e as espécies participantes. Também deverão encaminhar o comprovante de pagamento de uma taxa de cerca de R$ 1.500 (415 UFIR-RJ).

Se a solicitação não for analisada pelo INEA em até 60 dias, as exigências protocolares serão suprimidas por um ano, sendo proibida a renovação automática desse protocolo. Após esse período, caso os realizadores não cumpram alguma exigência solicitada pelo órgão, a autorização fica suspensa até o efetivo cumprimento.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas