Bolsonaro volta a criticar Lula e a esquerda em visita a grupo de refugiados da Venezuela

Sem máscara, o presidente abraçou diversas crianças venezuelanas

Escrito por Redação 26/10/2021 15:07, atualizado em 26/10/2021 16:07
Jair Bolsonaro cumprindo a agenda presidencial na cidade de Boa Vista, em Roraima
Jair Bolsonaro cumprindo a agenda presidencial na cidade de Boa Vista, em Roraima . Foto: Reprodução/Facebook

Depois de ter o conteúdo suspenso nas redes sociais quando relacionou vacina contra a Covid-19 e Aids, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez outra transmissão ao vivo no Facebook, onde ele visita a Operação Acolhida, que abriga refugiados venezuelanos na cidade de Boa Vista, em Roraima. O mandatário usou o evento para tecer novamente críticas à esquerda, à Venezuela, e ao ex-presidente Lula, que deve disputar as eleições presidenciais do próximo ano.

Sem máscara, ele abraçou diversas crianças venezuelanas e visitou as instalações usadas pelos refugiados, como barracas e postos de atendimentos. Em dados momentos, o vídeo mostrava bebês dormindo em colchões no chão e Bolsonaro comentou: "O que a gente quer mostrar é que não queremos isso para o nosso país. Para o bem maior nosso, precisamos ver nossa liberdade. As escolhas erradas levam a isso", falou.

Junto ao presidente estavam os ministros João Roma (Cidadania) e Anderson Torres (Justiça), e também o ex-senador Magno Malta. O chefe do Executivo aproveitou a oportunidade para alfinetar o possível adversário em 2022. "O presidente brasileiro do passado ia à Venezuela fazer campanha com Chávez, Maduro", disse.

Lula ainda foi citado novamente, mas de forma indireta, no título da publicação. "Averiguação da Operação Acolhida, situação do estado com os impactos dos refugiados e medidas tomadas para acolhimento de nossos irmãos venezuelanos que fogem da ditadura socialista de Nicolas Maduro, apoiada pelo ex-presidiário petista", diz o texto.

Mesmo lembrando do oponente político em diversas oportunidades, Bolsonaro reiterou que o evento não tinha orientação política: "Não estou fazendo campanha, estou mostrando a realidade", falou. "O ideal é a Venezuela é voltar à normalidade, mas sabemos que só um milagre para isso acontecer. Eles vem para cá atrás de comida", disse o presidente.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas