CNBB cobra punição a deputado bolsonarista que chamou papa de "vagabundo"

Político atacou religiosos em discurso na Alesp

Escrito por Redação 18/10/2021 14:48, atualizado em 18/10/2021 15:48
Frederico d'Avila fez insultos ao papa Francisco
Frederico d'Avila fez insultos ao papa Francisco . Foto: Divulgação/Alesp

A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) cobrou que a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) puna o deputado bolsonarista Frederico d'Avila (PSL) após o político ter feito uma série de ataques ao arcebispo de Aparecida e outros membros da igreja católica, entre eles o próprio Papa Francisco. O parlamentar chamou os religiosos de "pedófilos", "vagabundos" e "safados". 

Na carta enviada à Alesp, a Confederação informou que irá acionar a Justiça para que o deputado bolsonaro dê explicações sobre as acusações. As informações são do jornal Folha de São Paulo. 

“A CNBB tratará esse assunto grave nos parâmetros judiciais cabíveis. As ofensas e acusações, proferidas pelo parlamentar, protagonista desse lastimável espetáculo, serão objeto de sua interpelação para que sejam esclarecidas e provadas nas instâncias que salvaguardam a verdade e o bem, de modo exigente nos termos da lei”, de acordo com a carta.

Em discurso no dia 14 de outubro, após a missa do feriado de 12 de outubro, o arcebispo de Aparecida disse que "pátria amada não pode ser pátria armada". A declaração foi visto como uma resposta ao discurso armamentista adotado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Seu vagabundo, safado da CNBB, dando recadinho para o presidente [Jair Bolsonaro], para a população brasileira, que pátria amada não é pátria armada. Pátria amada é a pátria que não se submete a essa gentalha, seu safado”, afirmou na tribuna da Assembleia.

“Seu vagabundo, safado, que se submete a esse papa vagabundo também. A última coisa que vocês tomam conta é do espírito e do bem-estar e do conforto da alma das pessoas. Você acha que é quem para ficar usando a batina e o altar para ficar fazendo proselitismo político? Seus pedófilos, safados. A CNBB é um câncer que precisa ser extirpado do Brasil”, disse o deputado.

Na carta, a CNBB cobrou que a assembleia dê uma "correção exemplar" ao deputado.

"Com ódio descontrolado, o parlamentar atacou o Santo Padre Papa Francisco, a CNBB, e particularmente o Exmo. e Revmo. Sr. Dom Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida. Feriu e comprometeu a missão parlamentar, o que requer imediata e exemplar correção pelas instâncias competentes”, diz a carta.

“A CNBB, respeitosamente, espera dessa egrégia casa legislativa, confiando na sua credibilidade, medidas internas eficazes, legais e regimentais, para que esse ultrajante desrespeito seja reparado em proporção à sua gravidade —sinal de compromisso inarredável com a construção de uma sociedade democrática e civilizada”, afirma a CNBB.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas