Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Após culpar governadores, Bolsonaro culpa Lula por alta no preço da gasolina

Presidente afirma que governo federal não tem responsabilidade sobre o preço alto

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 31 de agosto de 2021 - 17:30
Bolsonaro chamou ex-presidente Lula de "nove dedos"
Bolsonaro chamou ex-presidente Lula de "nove dedos" -

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a comentar sobre a alta no preço da gasolina, nesta terça-feira (31), durante um evento na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais. Depois de culpar governadores pela alta no preço da gasolina, Bolsonaro disse, sem apresentar provas, que o ex-presidente Lula também é culpado. 

Durante seu discurso, Bolsonaro se referiu a Lula como "nove dedos". 

“O preço hoje está alto também em função disso, também em função de que um dos últimos presidentes, o nove dedos, entregou uma refinaria nossa ao governo boliviano. Mais do que entregou, foi combinado antes”, afirmou.

Bolsonaro fazia referência a uma conversa que teve com o presidente da Petrobras, general Silva e Luna. O presidente mencionou uma suposta dívida de R$230 bilhões do governo brasileiro em função da compra de refinarias que não garantiram retorno. "Ele [Silva e Luna] falou que a dívida está praticamente paga, mas custou caro pra vocês", disse o presidente.

No dia 18 de agosto, também durante um evento, Bolsonaro disse que o governo federal não é o responsável pela alta no preço da gasolina no país e responsabilizou governadores. "Vamos ver quem está sendo vilão nessa história. Não é o governo federal", disse durante cerimônia em Manaus, no Amazonas.

Bolsonaro fez referência ao ICMS, imposto sobre mercadorias e serviços, que é um tributo estadual e que faz parte do cálculo de definição de quanto a gasolina irá custar para o consumidor final. 

"Hoje em dia, o litro da gasolina é vendido nas refinarias na casa de R$1,95. Se está R$6, R$7 o litro, que é um absurdo, o imposto federal na casa R$0,70, vamos ver quem está sendo vilão nessa história. Não é o governo federal", destacou.

Matérias Relacionadas