Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Bolsonaro critica presidente do Senado por arquivar pedido de impeachment de Alexandre de Moraes

Pedido apresentado pelo presidente agravou conflito entre os poderes

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 26 de agosto de 2021 - 16:26
Pacheco é visto como aliado do presidente Bolsonaro
Pacheco é visto como aliado do presidente Bolsonaro -

O presidente Jair Bolsonaro fez críticas ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), por rejeitar o pedido de impeachment apresentado por ele contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes. As declarações foram feitas em entrevista à Rádio Jornal Pernambuco. 

Durante a entrevista, Bolsonaro comparou seu pedido de impeachment à abertura da CPI da Covid, lembrando que Rodrigo Pacheco aceitou a determinação do ministro Luís Roberto Barroso para abertura da comissão para investigar as responsabilidade do governo federal pelo agravamento da crise sanitária provocada pela pandemia de Covid-19. 

"O presidente do Senado entendeu e acolheu uma decisão da sua advocacia, da advocacia do Senado. Agora, quando chegou uma ordem do ministro Barroso para abrir a CPI da Covid, ele mandou abrir, e ponto final. Ele agiu de maneira diferente de como agiu no passado", reclamou.

Em mais uma derrota contra o Judiciário, Bolsonaro voltou a atacar o ministro Alexandre de Moraes, assim como também tem feito ao ministro Barroso, que também preside o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

"Ele simplesmente ignora a Constituição, desconhece vários incisos do artigo 5º, que fala do direito de ir e vir, da liberdade de expressão", disse. "Simplesmente começa a investigar qualquer um ele prende, tira a liberdade", completou.

Justificativa

Pacheco explicou que submeteu a denúncia de Bolsonaro contra Moraes à Advocacia do Senado, que emitiu um parecer técnico considerando a peça sem adequação legal. Além do aspecto jurídico, Pacheco justificou a decisão citando a preservação da independência entre os Poderes, e disse acreditar que ela é uma chance para que as crises institucionais sejam deixadas para trás.

Segundo a Advocacia do Senado, a denúncia apresentada contra Alexandre de Moraes não conseguiu demonstrar que o ministro tenha cometido atos descritos pela lei como crimes de responsabilidade (Lei 1.079, de 1950). Dessa forma, o documento apresenta “manifesta ausência de tipicidade e de justa causa”, de acordo com o parecer.

Matérias Relacionadas