Justiça nega pedido da defesa de Flordelis para retirar tornozeleira eletrônica

Pedido de habeas corpus também foi negado

Escrito por Redação 12/08/2021 16:17, atualizado em 12/08/2021 17:02
Além de Flordelis, outras 10 pessoas respondem por envolvimento no crime
Além de Flordelis, outras 10 pessoas respondem por envolvimento no crime . Foto: Divulgação

Mais uma derrota para Flordelis. O desembargador Celso Ferreira Filho, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, rejeitou o pedido da agora ex-deputada federal Flordelis para suspensão do uso obrigatório da tornozeleira eletrônica. A decisão foi publicada nesta quinta-feira (12). Flordelis é acusada de ser a mandante da morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, executado a tiros no portão de casa, em junho de 2019. Além de Flordelis, outras 10 pessoas respondem por envolvimento no crime.

O desembargador argumentou que a defesa não apresentou elementos suficientes que justificassem a suspensão imediata da medida cautelar imposta à ex-deputada. Ele também destacou que as justificativas eram repetidas, uma vez que a defesa utilizou os mesmos argumentos para pedir um habeas corpus, que também foi negado.

“Na verdade, o pleito ora em apreciação já foi apresentado a este Relator no HC 0065362-46.2020.8.19.0000, com fundamentos semelhantes, tendo sido rechaçado. Portanto, ausentes os requisitos autorizadores da concessão do pleito liminar, tenho por indeferi-lo.“

O pedido ainda será analisado em sessão que será agendada pelo colegiado da 2ª Câmara Cível.

Flordelis teve seu mandato cassado durante o plenário da última quarta-feira (11), na Câmara dos Deputados. A acusação encaminhou um pedido de prisão preventiva contra Flordelis logo após o término da sessão.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas