Ministro da Educação diz que universidade deveria ser "para poucos" e critica cotas

Milton Ribeiro também teceu críticas a reitores e professores da educação básica

Escrito por Redação 10/08/2021 14:25, atualizado em 10/08/2021 15:11
O professor e pastor Milton Ribeiro disse que os professores estão prejudicando a volta às aulas
O professor e pastor Milton Ribeiro disse que os professores estão prejudicando a volta às aulas . Foto: Reprodução/Redes Sociais

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse à TV Brasil nesta terça-feira (10) que "universidade deveria, na verdade, ser para poucos, nesse sentido de ser útil à sociedade". Segundo ele, os institutos federais, que formam técnicos, são as protagonistas do futuro. 

"Tenho muito engenheiro ou advogado dirigindo Uber porque não consegue colocação devida. Se fosse um técnico de informática, conseguiria emprego, porque tem uma demanda muito grande", disse Ribeiro, em entrevista ao programa "Sem Censura", na noite desta segunda-feira (9).

O ministro também falou sobre a política de cotas em instituições de ensino superior e disse que os pais dos alunos considerados "filhinhos de papai", que não trabalham e podem pagar um curso preparatório, são quem sustentam a universidade pública. 

"Pelo menos nas federais, 50% das vagas são direcionadas para cotas. Mas os outros 50% são de alunos preparados, que não trabalham durante o dia e podem fazer cursinho. Considero justo, porque são os pais dos 'filhinhos de papai' que pagam impostos e sustentam a universidade pública. Não podem ser penalizados."

Ainda durante o programa, Ribeiro fez críticas a reitores de universidades públicas e professores da educação básica. 

Sobre reitores, ele afirmou que "vejo que alguns deles optaram por visão de mundo à esquerda, socialistas. Eu falei pra eles: se formos discutir essas questões, nunca vamos chegar a um acordo", mas ressaltou que um reitor "não pode ser esquerdista, lulista. Eu acho que reitor tem que cuidar da educação e ponto-final, e respeitar quem pensa diferente. As universidades federais não podem se tornar comitê político de um partido A, de direita, e muito menos de esquerda."

A nomeação de reitores de universidades durante o governo Bolsonaro tem sido alvo de críticas da comunidade acadêmica, uma vez que candidatos eleitos internamente, nas próprias instituições de ensino, não foram empossados pelo presidente. 

Sobre professores da educação básica, Ribeiro afirmou que há alguns que trabalham com "viés político-ideológico" e prejudicam a volta das aulas presenciais nas escolas. 

"Infelizmente, alguns maus professores fomentam a vacinação deles, que foi conseguida; agora [querem a imunização] das crianças; depois, com todo o respeito, para o cachorro, para o gato. Querem vacinação de todo jeito. O assunto é: querem manter escola fechada", declarou. "Como que o professor é capaz de ficar em casa e deixar as crianças sem aula? A culpa não é do governo federal. Se pudesse, eu teria mandado abrir todas as escolas. Mas não podemos, depende das redes municipais e estaduais.", completou. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas