Bolsonaro diz que não pretende mudar nome do Bolsa Família e fala em aumento de 50% no benefício

Valor médio atual do programa é de R$ 192

Escrito por Redação 20/07/2021 16:14, atualizado em 20/07/2021 17:02
Valor anunciado pelo presidente é maior do que o previsto pela equipe econômica
Valor anunciado pelo presidente é maior do que o previsto pela equipe econômica . Foto: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro disse que não tem intenção de mudar o nome do Bolsa Família para 'Renda Cidadã'. No entanto, o líder do executivo afirmou que quer reajustar o benefício, aumentando para no mínimo R$ 300, acima dos R$ 250 previsto pela equipe técnica. Segundo Bolsonaro, o valor deve mudar a partir de novembro.

"É pouco? Sei que é pouco, mas é o que a nação pode dar. Alguns falam em mudar de nome, eu não estou preocupado em mudar de nome, eu quero atender a população", declarou o presidente em entrevista à Rádio Itatiaia.

O presidente reclamou e chamou de 'chiadeira' as indagações sobre o valor do auxílio emergencial distribuído neste ano. Bolsonaro disse que o benefício custou R$ 700 bilhões em 2020 e causou endividamento do governo.

Segundo o presidente, a previsão de inscrição de 22 milhões de pessoas no Bolsa Família a partir de dezembro é um "número assustador". Para justificar a impossibilidade de oferecer mais do que os R$ 300 para o benefício, Bolsonaro disse que "a conta é alta, a gente não tem como se endividar mais. Alguém tem que produzir para pagar isso daí".

Atualmente, o valor médio ao beneficiários do programa está em R$ 192, assim o reajuste seria de pouco mais de 50%. Porém, o governo disse que ainda não tem previsão de onde virá esse recurso para aumento do Bolsa Família. Uma parte seria com a reformulação do Imposto de Renda, previsto no texto da Reforma Tributária, que ainda está sendo discutida no Congresso Nacional. 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas