Bolsonaro afirma que retorno do auxílio é “endividamento” para o Governo

Declaração foi na manhã desta quarta-feira (10)

Escrito por Redação 10/02/2021 18:16, atualizado em 10/02/2021 19:11
Jair Bolsonaro em pronunciamento.
Jair Bolsonaro em pronunciamento. . Foto: Reprodução Redes Sociais


O presidente Jair Bolsonaro declarou, nesta manhã, que a volta do auxílio emergencial é um “endividamento” para o governo federal. O retorno do benefício está transitando no Congresso e deve ser concretizado em breve, mas segundo o presidente, a questão não é sobre o dinheiro que tem em caixa.


Bolsonaro marcou presença em um evento no Ministério da Educação e discursou para os prefeitos, comentando sobre o retorno do benefício “A arrecadação esteve praticamente equivalente nos municípios tendo em vista o auxílio emergencial, que volta a ser discutido". (...) E é o que eu falo: não é dinheiro que eu tenho no cofre, é endividamento. Isso é terrível também. A economia tem que pegar. Temos que voltar a trabalhar.”


O auxílio emergencial proporcionou o reaquecimento da economia no país e, além de ser uma política assistencialista, trouxe benefícios políticos para o Governo. Com a repercussão positiva do auxílio, Bolsonaro e apoiadores já constatam uma subida na popularidade do presidente por conta do programa, principalmente nas áreas mais carentes do Brasil.


Em outra perspectiva, integrantes do Governo reforçam a ideia de que o retorno do benefício tende a proporcionar um desequilíbrio fiscal no país. No entanto, o ministro da Economia, Paulo Guedes, que era contra à prorrogação do auxílio emergencial, vem tornando menos rígida a sua decisão conforme a evolução da pauta. Nesse sentido, para os representantes do Governo, o “sim” do Congresso à proposta é um desfecho esperado.

 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas