Em live, Bolsonaro nega atraso na vacinação no Brasil e pede 'calma'

Ministro da Saúde estava ao lado do presidente e falou sobre a aprovação de uso emergencial das vacinas

Escrito por Redação 15/01/2021 09:18, atualizado em 15/01/2021 09:45
Bolsonaro falou sobre a vacinação contra o coronavírus em transmissão ao vivo nas redes sociais
Bolsonaro falou sobre a vacinação contra o coronavírus em transmissão ao vivo nas redes sociais . Foto: Divugação/Isac Nóbrega/PR

Na noite dessa quinta-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro fez mais uma de suas transmissões ao vivo pelas redes sociais e pediu "calma" para a população sobre o início da vacinação contra o novo coronavírus.

Acompanhado do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, Bolsonaro negou que o governo e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) estejam atrasando um começo da imunização.

"Alguns reclamam que o Brasil está atrasado, o governo está atrasando, o governo não tomou providência para a vacinação: calma", afirmou.

Bolsonaro rebateu as críticas na questão da demora do início da vacinação, em que vem sendo classificado como "genocida". De acordo com o chefe do Executivo, o Brasil não é uma "republiqueta", onde se pode fazer "negociatas" em compras.

Na live, Pazuello afirmou que torce muito para dar certo a aprovação do uso emergencial dos imunizantes que a Anvisa analisa. O governo espera que a análise de requerimentos de registros por parte da agência seja finalizada no próximo domingo (17)

Por outro lado, Bolsonaro disse que a Anvisa não será cobrada em caso de extensão do tempo de análise. O órgão examina a certificação dos imunizantes desenvolvidos pelo Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac e da vacina da AstraZeneca/Oxford, distribuída pelo Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Pazuello falou também sobre a eficácia da Coronavac, vacina do Butantan, que apresentou uma eficácia geral de 50,38%, de acordo com o governo de São Paulo.

"Quando a gente observa o que quer dizer a eficácia, que existe uma regra clara da eficácia mínima e do que a vacina pode nos dar de positivo, não há problema algum com relação à eficácia se nós olharmos por esse ângulo", disse.

Além disso, Bolsonaro comentou novamente sobre o tratamento precoce do coronavírus e disse ainda que "idiotas sem caráter" fazem acusações de que ele lucra com a propaganda da hidroxicloroquina, medicamento que não possui eficácia comprovada contra o vírus.

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas