Você conhece as rações terapêuticas? Elas podem ajudar o seu animalzinho

Alimento deve ser indicado por um veterinário

Enviado Direto da Redação
Segundo a veterinária Gabrielle Friess, da Clínica Gladiador, as rações terapêuticas são importantes para o tratamento adequado dos animais

Segundo a veterinária Gabrielle Friess, da Clínica Gladiador, as rações terapêuticas são importantes para o tratamento adequado dos animais

Foto: Leonardo Ferraz

Nutricionalmente balanceadas, as rações terapêuticas vêm recebendo cada vez mais destaque no mercado dos pets, devido ao poder de complementar tratamentos de diversas doenças. Elas devem ser indicadas por um veterinário, pois a duração do tratamento, as porções e o número de refeições necessárias variam de acordo com a patologia e o tratamento escolhido para o animal.

“As rações terapêuticas são importantes pois conseguem abranger todo o sistema do animal. São eles cardiológicos, renais, hepáticos, urinários, gastrointestinais, além dos problemas de pele”, explica a veterinária Gabrielle Friess, da Clínica Gladiador.

As doenças podem ser identificadas no animal a partir de sintomas ou não. “Às vezes, o dono identifica uma urina um pouco mais escura, um amarelo mais forte, com cheiro diferente. Ao coletar a urina e mandar para o laboratório, o diagnóstico é um cálculo renal, por exemplo. Então, faz-se uso da ração urinária”, explica a médica veterinária.

Outros casos são os problemas gastrointestinais, que são diagnosticados por exclusão. “Não há um exame específico. O animal chega com diarreia e vômito constantes, então administramos a ração gastrointestinal. Quando o organismo volta ao normal, sabemos que há o problema. Então, o cachorro ou gato passa a se alimentar somente daquela ração por toda a vida”, acrescenta Gabrielle Friess.

Obesidade - Por conta da “humanização” dos pets, quase todas as raças têm propensão a serem obesos, segundo especialistas. Um dos motivos é a comida. “Se o dono come algo e o animal está próximo, acaba oferecendo a comida a ele também porque quer que se sinta bem”, explica a veterinária.

As raças menores têm maior tendência ao aumento de peso como o Pug, Buldogue francês e o Beagle. No entanto, muitos cães sem raça definida também sofrem do problema e precisam de tratamento. O mais indicado é a ração “saciety”, que tem aditivos que deixam o organismo do animal saciado e, ao comer menos, consegue manter o peso ideal. O mesmo acontece com os gatos.

“Ao serem castrados, os felinos acabam ficando com o metabolismo mais lento e por isso o indicado é oferecer rações com propriedades específicas, não necessariamente terapêuticas”, esclarece.

As marcas mais recomendadas no mercado são a Royal Canin, Proplan, Hills, Equilíbrio e Premier, com nutrientes balanceados para cães e gatos de raças, tamanhos e necessidades diferentes. Os valores variam segundo o tamanho da embalagem que vai de 500g a 10 quilos. Há ainda as rações úmidas - em lata - indicadas para animais com dificuldade de mastigação, convalescentes ou sem disposição para comer.

Veja mais notícias:


Secretaria de Maricá realiza concurso 'Novos Pesquisadores' para estudantes

Passeio ciclístico para comemorar o Dia dos Namorados em Maricá

Coleira para gatos: usar ou não usar?

Veja também