Maricá ultrapassa meta do Índice da Educação Básica, diz a Prefeitura

Resultado foi favorável no 5º e 9º anos do ensino fundamental

Enviado Direto da Redação
Resultado foi favorável no 5º e 9º anos do ensino fundamental

Resultado foi favorável no 5º e 9º anos do ensino fundamental

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Maricá informou que o município ultrapassou a meta no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica ( Ideb), referente ao ensino fundamental I (5° ano), que era de 5,2. O resultado do IDEB 2017 mostra ainda, de acordo com o governo municipal, que a cidade apresentou um crescimento considerável no fundamental II (9º ano): subindo de 3,9 para 4,5.

O Ideb é um indicador usado para avaliar a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas em prol da melhoria do ensino oferecido, tendo como base a taxa de rendimento escolar (aprovação) e as médias de desempenho em dois exames: a Prova Brasil (para escolas e municípios) e o Sistema de Avaliação da Educação Básica (para os estados e o País), que acontece a cada dois anos.

Para as escolas, as metas estabelecidas são diferenciadas e visam alcançar seis pontos até 2022, média correspondente ao sistema educacional dos países desenvolvidos. E as escolas municipais Alcione Soares Rangel da Silva (Bambuí), Oswaldo de Lima Rodrigues (Itaipuaçu) e Barra de Zacarias (Barra) foram as melhores colocadas, com, respectivamente, 6.5, 6.4 e 6.3 de notas. Já no segundo segmento, também tiveram excelentes avaliações as escolas municipais Amanda Pena de Azevedo Soares (Bananal), Marques de Maricá (Itaipuaçu) e João Bezerra da Silva (Divineia). 

A secretária municipal de Educação, Adriana Luíza da Costa, atribuiu a evolução dos índices ao planejamento pedagógico realizado nas 61 escolas da rede no atendimento aos 23 mil alunos matriculados.

“Buscamos intensificar o aprendizado de forma mais lúdica e integrada. A escola não é um elemento solto da sociedade. Dentro dessa perspectiva, trabalhamos com o entorno de onde os alunos estão inseridos. É importantíssimo conhecermos e participarmos da realidade deles”, destacou Adriana.

Sobre as escolas melhores posicionadas, a secretária explicou que é mais fácil gerenciar uma escola de menor tamanho e que a proximidade com a comunidade reflete de forma extremamente positiva dentro da sala de aula.

“O nosso currículo é trabalhado de forma integrada voltado para uma educação integral, com foco na correção de fluxo e na avaliação como um todo”, relatou acrescentando que os programas de educação inclusiva e a educação integral desenvolvidos no município se tornaram referências para outras cidades.

Com a melhor pontuação no Ideb no ensino fundamental, a diretora da escola municipal Alcione Soares Rangel da Silva, Andreia Alcântara, destacou a importância de um trabalho interdisciplinar realizado continuamente durante todo o ano letivo para os 190 alunos matriculados na unidade.

“É prática da nossa rede preparar os alunos, por meio de simulados e avaliações, direcionadas para todas as turmas. Além de incentivarmos a formação continuada dos educadores que buscam explorar em sala de aula as novidades que surgem a cada dia”, apontou a diretora da unidade destinada para o ensino da educação infantil ao 5º ano do ensino fundamental.

Para a professora do 1º ano da escola, Aline da Silva, o resultado positivo no Ideb é fruto de um trabalho conjunto e integrado entre todas as disciplinas, destacando a importância da alfabetização.

“O primeiro ano é a base do conhecimento e é um grande desafio para nós educadores. É fundamental que conheçamos os alunos e possamos nos envolver com a realidade deles”, destacou.

A professora regente do 5º ano da escola Barra de Zacarias, Fátima Mano, justificou que as notas do Ideb vêm melhorando ao longo dos anos por causa do envolvimento aplicado na unidade, que é de tempo integral, facilitando a absorção do conteúdo.

“Ensinamos a teoria na parte da manhã e, no período da tarde, explorarmos a prática. E, a todo tempo, buscamos integrar o conteúdo. Por exemplo, ao ensinar História, conseguimos explorar Matemática, Geografia, Português e diversas disciplinas facilitando a absorção do conhecimento como um todo”, ressaltou.

Já no segundo segmento do ensino fundamental (6º ao 9º ano), a diretora geral da Escola João Bezerra da Silva, Simone Reis, destacou a autonomia concedida pela secretaria na implantação de projetos que fortaleçam e integrem a equipe.

“Desenvolvemos diversos projetos que envolvem diretamente os nossos alunos, com isso os índices de retenção foram diminuídos e nosso Ideb aumentado. Em 2010, iniciamos o projeto de aplicação de simulados para que os alunos se familiarizem com este instrumento avaliativo”, declarou.

Ainda segundo a diretora Simone Reis, além do primeiro lugar no Ideb (segundo segmento) em 2017, muitos alunos da escola, que oferece do 3° ao 9° ano do ensino fundamental para 416 alunos, obtiveram aprovação na Faetec, Colégio Militar e IFF com, inclusive, o primeiro lugar.

Veja também