Samu de Maricá realizou 830 atendimentos entre os meses de janeiro e maio

Crescimento é de 10% em relação a 2017

Enviado Direto da Redação
Órgão registrou 70% das visitas em domicílios e 30% nas demais vias públicas do município

Órgão registrou 70% das visitas em domicílios e 30% nas demais vias públicas do município

Foto: Divulgação

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Maricá realizou 830 atendimentos de janeiro a maio deste ano, sendo que desses, 70% foram prestados nas residências dos pacientes, e os demais 30% efetuados nas vias públicas. O número significa um aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo o coordenador da base da Samu em Maricá, Leonardo Ribeiro, o grande diferencial é o atendimento nas residências da população maricaense, evitando riscos e deslocamentos desnecessários.

“O Corpo de Bombeiros atua nas ruas e nós oferecemos um grande apoio ao trabalho deles. No entanto, quando uma pessoa necessita pode nos acionar que iremos até a casa dela para socorrê-la por meio do 192 ou até mesmo nos chamando aqui na base. Estamos aqui para salvar vidas aonde quer que precisem de socorro”, declarou o coordenador.

Segundo o coordenador, as principais ocorrências das chamadas oriundas das residências são por conta de Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto, assistência ao parto e queda. Já em vias públicas acidente de trânsito, crises compulsivas e mal súbito são as causas mais comuns.

Atualmente, o serviço do SAMU de Maricá conta com duas ambulâncias (uma básica USB 10 e outra avançada USA 7) e uma motolância (moto que atua como ambulância para chegar mais rápido ao local de atendimento) equipadas com aparelhos e medicamentos para prestar atendimentos de emergência e urgência em todo município.

O modelo básico possui aparelho de pressão arterial, oxímetro de pulso, HGT (medidor de glicose), cilindros de oxigênio, equipamentos para imobilização e medicamentos. Já a ambulância avançada, considerada uma UTI móvel, possui além dos itens listados, desfibrilador, respirador e monitor cardioversor.

Veja mais notícias:


Alerj debate prejuízos causados a moradores de Itaboraí com as obras na BR-493

Policlínica organiza reunião com pacientes do núcleo de Manilha

Secretaria de Obras de Maricá faz melhorias em rua de Itaipuaçu

Veja também