Deputados distribue verbas pela região

Escrito por Redação 29/12/2015 19:09, atualizado em 29/12/2015 19:09
. Foto:

Parlamentares da região destinaram cerca de R$15 milhões cada para saúde e educaçãoFoto: Divulgação

Parlamentares da região contribuíram para que a saúde e educação - únicos setores que não sofreram cortes no orçamento para o próximo ano - conseguissem mais recursos do que o valor previsto no texto original. Votada pelo Congresso Nacional pouco antes do recesso, a Lei Orçamentária Anual (LOA) 2016 ficou fixada em R$3 trilhões. A área da saúde receberá R$118 bilhões, valor 7,7% superior ao indicado na primeira proposta. Já a educação alcançou R$99,8 bilhões, mais de R$3 bilhões a mais.

Figura política ligada a Itaboraí, o deputado Altineu Côrtes (PR) ressaltou sua atuação em prol dos recursos das emendas individuais. Neste ano, R$9 bilhões serão destinados às escolhas dos parlamentares. Cada um tem direito a cerca de R$15 milhões. Altineu optou por utilizar os valores para apoiar unidades de saúde no Estado do Rio, a fim de auxiliar o governo no combate à dengue e ao zika vírus.

“Estou articulando com o governador Pezão (Luiz Fernando), uma estratégia de combate ao mosquito coordenada entre as prefeituras de Itaboraí, São Gonçalo e região. A proposta, que envolve toda a sociedade, é criar um cinturão sanitário que impeça a proliferação do mosquito nas cidades”, declarou.

Ex-secretário da Pesca em São Gonçalo, o deputado Roberto Sales (PRB) destinou R$1 milhão para o Complexo Pesqueiro. Ainda no Estado do Rio, o parlamentar atendeu ao Corpo de Bombeiros, com R$242 mil e a saúde, distribuindo R$6,6 milhões para a atenção básica e R$1,1 milhão para a atenção especializada. Em São Gonçalo, o parlamentar optou por R$400 mil para o Hospital Franciscano Nossa Senhora das Graças, em Lagoinha, e R$200 mil para o Instituto Federal Fluminense (IFF). Já Niterói receberá R$1,8 milhão para executar reforma no Centro Cultural Solar do Jambeiro.

Quem também priorizou a saúde foi o deputado Chico d’Angelo (PT), que tem no setor sua principal bandeira. “Reservei R$1 milhão para a atenção básica em São Gonçalo, conforme as solicitações da prefeitura”, contou.

Com base eleitoral em Niterói, o médico petista destinou R$10 milhões à cidade, abrangendo saúde, cultura, desenvolvimento social e defensoria pública e a Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef), com sede em Rio do Ouro. Os demais R$4 milhões serão distribuídos por outros municípios em institutos de ensino.

Orçamento atípico por conta da crise

Para o deputado Altineu Côrtes, o orçamento pode ser considerado atípico, por conta da crise econômica, o que representou um desafio ainda maior para a Casa.

“Elaborar a LOA não se tratou apenas de organizar a distribuição de recursos, mas principalmente definir quais os setores que deveriam sofrer redução de gastos, sem prejudicar o andamento da máquina pública e preservando as conquistas sociais. Um dos pontos mais importantes é a manutenção dos recursos destinados ao Bolsa Família, um programa de distribuição de renda que se tornou referência mundial em política de combate à pobreza”, explicou.

Em contrapartida, Altineu lamenta que o mesmo não tenha ocorrido em relação ao programa ‘Minha Casa, Minha vida’, cujo fundo foi reduzido de R$14 bilhões para R$4,3 bilhões pelo Congresso Nacional.

“Entendo, no entanto, que esta crise é transitória. O governo está empenhado em colocar o país no trilho do desenvolvimento e, provavelmente, em 2017 teremos um orçamento mais dilatado para investimentos nos setores que sofreram maior redução orçamentária em 2016”, opinou.

 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas