Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,0741 Euro down 5,2058
Search

Golpe do falso aluguel de casas: saiba mais sobre a prática e como evitá-la

O advogado Marcello Benevides traz dicas importantes para as viagens

relogio min de leitura | Escrito por Luann Motta Carvalho | 01 de janeiro de 2021 - 08:00
Esse tipo de golpe em cima de viajantes sempre foi algo corriqueiro
Esse tipo de golpe em cima de viajantes sempre foi algo corriqueiro -

Chega as férias e inevitavelmente surge o desejo de botar o pé na estrada. Em uma época inusitada devido à pandemia do novo coronavírus, os trajetos mais curtos para casas menos aglomeradas aparecem como opção de lazer para os viajantes, sem quebrar regras necessárias de saúde. No entanto, se as opções de passeio precisam se adaptar por causa do vírus, uma prática continua dificultando as viagens mais sossegadas: o golpe do falso aluguel de casas.

Esse tipo de golpe em cima de viajantes sempre foi algo corriqueiro. Porém, em períodos de temporada, essa prática acaba por ser ainda mais frequente. Para efeito de comparação, esse tipo de crime, em julho desse ano, aumentou quase cinco vezes no estado do Rio em comparação ao mesmo mês de 2019, passando de 339 para 1616 casos. Os dados são do Instituto de Segurança Pública (ISP-RJ).

Além disso, o problema foi intensificado dentro da internet, já que as estratégias dos golpistas se expandiram e aumentaram consideravelmente com as ferramentas da web.  É como afirma o advogado Marcello Benevides, especialista em Direito Imobiliário.

“O número de publicações nas redes sociais com esse tipo de golpe cresceu muito e essa é a maneira mais utilizada pelos criminosos”, conta Marcello, que aponta uma tendência de ocorrer mais golpes durante as férias. “Com o aumento da procura de lugares para passar as férias, isso aumenta consideravelmente”, acrescentou.

Nesse contexto, se normalmente precisamos ter cautela na hora de escolher uma casa para alugar e fazer uma viagem mais tranquila, a atenção precisa ser redobrada em 2020. Afinal, os golpistas aproveitam o momento atípico para realizarem suas táticas, como por exemplo, o preço supostamente mais baixo.

“O momento atual agrava essa questão. É mais fácil acreditar que está “muito barato” em razão da pandemia, quando na verdade, o criminoso está usando desse argumento para tornar o golpe mais convincente”, disse Marcello.

Sendo assim, para auxiliar os viajantes, Marcello deixa algumas dicas muito importantes que os consumidores devem realizar para não cair nas artimanhas dos criminosos.

“Além de ficar atento a preços muito baixos, tenha atenção na hora de conversar com o proprietário e sempre faça perguntas sobre a vizinhança, peça um vídeo de dento do imóvel ou que envie mais fotos. Além disso, verifique se o endereço é real nos site de busca, como o Google Maps, e solicite uma visita ao local antes de fazer qualquer depósito”, apontou.

Por fim, ele deixa a dica mais indispensável: todo cuidado é pouco.

“Tenha muita cautela com imóveis anunciados em redes sociais ou classificados. Prefira sempre imóveis que estejam em aplicativos como Airbnb ou Booking, porque são empresas multinacionais e que dão o mínimo de segurança nas transações”, afirmou o advogado. “Caso algo esteja errado, como o imóvel não corresponder com as imagens do anúncio, você pode acionar judicialmente uma dessas empresas e ser ressarcido por eventuais prejuízos, com base no artigo 35 do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8078/90)”, completou.

Portanto, para quem for viajar neste fim de ano, é imprescindível prestar atenção nas regras fundamentais para a sua saúde e ficar de olhos abertos para qualquer eventualidade. Faça sua viagem com segurança.

*Estagiário sob supervisão de Marcela Freitas

Matérias Relacionadas