Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,1592 Euro down 5,3103
Search

Covid-19: mais de 40 países já iniciaram vacinação

Brasil projeta vacinação só para fevereiro de 2021

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 27 de dezembro de 2020 - 16:44
Brasil proteja vacinação só para fevereiro, sem datas específicas
Brasil proteja vacinação só para fevereiro, sem datas específicas -

A tão esperada vacina contra a Covid-19 já chegou. Muitas pessoas esperavam que ela ficasse pronta apenas em 2021, mas antes mesmo do novo ano vários países já começaram a imunizar suas populações. Mais de 40 nações já começaram a campanha de vacinação e, ao todo, mais de dois milhões de pessoas já foram vacinadas. O Reino Unido foi o primeiro país a usar a vacina da Pfizer/BioNTech, seguido de Estados Unidos, Canadá, Arábia Saudita, Israel e os 27 países da União Europeia.

Na Rússia, a vacina utilizada é a Sputnik V, do Instituto Gamaleya, produzida no próprio país. O governo russo afirma que já vacinou mais de 200 mil pessoas. Na China, as vacinas utilizadas são a Sinovac e Sinopharm, ambas produzidas no país.

O México foi o primeiro país da América Latina a começar a imunizar a sua população com as doses desenvolvidas pela Pfizer e BioNTech, seguido do Chile, que foi o segundo, utilizando a mesma produção da Pfizer BioNTech. Na Costa Rica iniciou, a vacinação foi iniciada na última quinta-feira, dia 24, também com a produção da Pfizer BioNTech. As primeiras vacinas serão aplicadas em profissionais de saúde e idosos.

O presidente da Argentina, Alberto Fernandez, anunciou que o país começará a vacinar a população a partir de terça-feira, 29, com a vacina Sputnik V, do Instituto Gamaleya. O acordo firmado entre Argentina e Rússia prevê o fornecimento de 25 milhões de doses. 

No Brasil, o governo projeta o início da imunização na população só em fevereiro de 2021, mas ainda sem datas especificadas. Ontem, dia 26 de dezembro, durante um passeio que fez em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro disse que "não dá bola" para o fato de o país estar ficando para trás na imunização da população em relação aos países vizinhos. 

"Ninguém me pressiona para nada, eu não dou bola para isso. É razão, razoabilidade, é responsabilidade com o povo, você não pode aplicar qualquer coisa no povo", disse o presidente.

Matérias Relacionadas