Chocolates eróticos fazem sucesso em empreendimento de gonçalense

Os recheios dos produtos são de acordo com a escolha do cliente

Escrito por Ana Carolina Moraes 22/12/2020 10:29, atualizado em 22/12/2020 11:00
A empreendedora vende os chocolates há 6 anos
A empreendedora vende os chocolates há 6 anos . Foto: Arquivo pessoal

O feminismo é um dos movimentos que mais está em pauta no país. Foi graças a ele que muitas mulheres puderam seguir seus sonhos, se especializar em algo sem serem julgadas e criarem, inclusive, os seus próprios empreendimentos. De 2005 a 2015, segundo dados Anuário dos Trabalhadores das MPE, publicado pelo Sebrae, o número de mulheres empreendedoras aumentou em 15,4% no país. O número, ao todo, chegou a 8 milhões. Agora, imagina reunir o seu empreendimento com a vontade da mulher de falar de seus prazeres e ainda por cima com chocolate? Essa foi a ideia de Jeosanny Lino da Silva, de 32 anos, que criou uma confeitaria erótica, a Xota-k, que lida com chocolate de uma forma um pouco diferente: ela vende chocolates com formatos de pênis, de virilha ou de nádegas, com frases que apimentam a relação. 

A Xota-k se iniciou em 2014, mas foi com a venda dos chocolates que Jeosanny, moradora de Tribobó, conseguiu se manter nesta pandemia. Tudo começou com a ideia de empoderar outras mulheres a falarem de sua vida sexual. 

"A Xota-k nasceu em 2014 com o propósito de ser um projeto onde eu pudesse falar sobre sexualidade sem tabu. Daí, criei uma página no Facebook, onde posto diversas frases ousadas que, na maioria das vezes, chama o público a uma reflexão de comportamento e atitudes, às vezes, machistas. Busco, com isto, empoderar mulheres a falarem sobre seu prazer e sobre o seu corpo. A confeitaria erótica nasce como um negócio que contribuí para esse debate do sexo sem tabu, de naturalizar o corpo. E também com um viés de autonomia financeira, não só para mim quanto dona do meu próprio negócio, mas para outras mulheres que participam de oficinas", disse a produtora cultural, que se arriscou no chocolate e, com o tempo, foi pesquisando mais sobre o tema até estabilizar seu atual produto no mercado. Ela também produz oficinas de produção de chocolates para mulheres em vulnerabilidade social e oficinas de empoderamento feminino, que falam sobre camisinha feminina, por exemplo.

A Xota-k é a primeira confeitaria erótica do Brasil, segundo sua dona
A Xota-k é a primeira confeitaria erótica do Brasil, segundo sua dona | Foto: Arquivo pessoal
 

Os produtos mais vendidos da Xota-k, segundo a empreendedora, são o "pirocão de 25 cm" e as trufas "me dá o seu pau". Os chocolates da confeitaria erótica são recheados segundo a escolha do cliente, podendo ser de brigadeiro gourmet, geleia de pimenta, doce de leite e Nutella. 

Este é um dos produtos mais vendidos pela confeitaria erótica
Este é um dos produtos mais vendidos pela confeitaria erótica | Foto: Arquivo pessoal
 

Este é um dos produtos mais vendidos pela confeitaria erótica
Este é um dos produtos mais vendidos pela confeitaria erótica | Foto: Arquivo pessoal
 

"O produto tem sido muito procurado para presentes de amigo oculto neste fim de ano. A Xota-k é a primeira confeitaria erótica do Brasil, sempre inovando com produtos de primeira qualidade e criatividade", disse a empreendedora. 

Os chocolates eróticos possuem diversos formatos
Os chocolates eróticos possuem diversos formatos | Foto: Arquivo pessoal
 

Jeosanny conta que sofre muito com a questão do preconceito ainda nos dias atuais, mas continua com sua ideia de empoderar mulheres e seus prazeres. Para quem se interessou e deseja encomendar os chocolates da Xota-k, basta entrar em contato com ela pelo Whatsapp (21) 99330-1134 ou pelas redes sociais: Instagram (@xotak_k) ou Facebook (@xotak69). Os produtos são entregues em São Gonçalo, Niterói, Maricá e na cidade do Rio, com taxa de entrega.

A Xota-k é a primeira confeitaria erótica do Brasil, segundo sua dona
A Xota-k é a primeira confeitaria erótica do Brasil, segundo sua dona | Foto: Arquivo pessoal
 


*Estagiária sob supervisão de Marcela Freitas 

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas