Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down 5,4907
Search

Coronavírus: tristeza e emoção na despedida de Ubirany e Ferrão, amigos do mundo do samba

Músico do Fundo de Quintal morreu no mesmo dia que policial militar reformado de SG. Os dois se conheceram em shows e rodas de samba da região

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 13 de dezembro de 2020 - 14:22
Imagem ilustrativa da imagem Coronavírus: tristeza e emoção na despedida de Ubirany e Ferrão, amigos do mundo do samba

A covid-19, doença que já matou mais de 181 mil brasileiros, acabou, mais uma vez, protagonizando um sábado (12) de tristeza e dor para duas famílias do Estado do Rio. E por uma infeliz coincidência do destino, as vítimas, que se conheceram em trabalhos no mundo do samba, foram sepultadas no mesmo dia, horas após terem perdido a 'batalha' contra o coronavírus. Os protagonistas dessa triste história são um dos integrantes do Grupo Fundo de Quintal, Ubirany Félix, e o subtenente reformado da PM do Estado do Rio, Tomas Roberto da Silva Ferrão. 

Os destinos de Ubirany e Ferrão se cruzaram graças ao trabalho de ambos. Ferrão dirigia as equipes de segurança de várias casas de shows no eixo São Gonçalo-Niterói, voltadas para o samba, o que lhe acabou proporcionando a oportunidade de conhecer artistas que se apresentavam na região. E Ubirany, conhecido no mundo artístico como 'Chapinha' por tratar carinhosamente as pessoas de seu círculo de amizade com essa palavra, foi um deles.  

Ferrão - De família tradicional em São Gonçalo, Ferrão, como era chamado pelos amigos, era sobrinho do jogador Zizinho, que fez história no futebol mundial, após um promissor início no extinto Byron, do Barreto, em Niterói, com passagens marcantes pelo Flamengo, São Paulo, Bangu e Seleção Brasileira. 'Mestre Ziza' foi um dos maiores de sua época, nas décadas de 50 e 60, e morreu em fevereiro de 2002, em Niterói, de causas naturais. Entre as unidades da PM por onde Ferrão passou quando estava na ativa, está o 12ºBPM (Niterói), onde atuou por vários anos. Nas eleições municipais de de 2000, tentou uma vaga na Câmara de Vereadores de São Gonçalo, e esse ano, atuou ativamente nos bastidores, em prol da candidatura do Capitão Nelson, eleito prefeito em SG. 

"Infelizmente, perdemos uma grande referência, com seu trabalho no ramo de entretenimento, e também com atuação destacada em defesa da população, como agente de segurança pública", afirmou o vice-presidente da Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Lierj), Fábio Montibelo, um dos amigos mais próximos de Ferrão. Segundo o filho de Tomas, Roberto Soares Ferrão, uma das grandes alegrias dele era acompanhar a carreira do neto, Lucas Ferrão, campeão estadual de kikiboxing no Rio de Janeiro. "Era o 'time' dele", declarou emocionado Roberto, nesse domingo (13) a um repórter de OSG

Ubirany - Ubirany Félix tinha 80 anos e morreu após complicações causadas pela Covid-19. Ele é dos fundadores do grupo Fundo de Quintal, um dos mais promissores e conhecidos grupos de samba do país. Na década de 1970, ele, que atuava como um dos percursionistas do grupo, foi o responsável por introduzir o repique de mão no mundo do samba, padronizando um estilo do gênero, como fez Almir Guineto, outro ex-integrante do Fundo de Quintal,  falecido no ano retrasado, ao lançar o banjo,  instrumento tradicional da música country americana, com afinação de cavaquinho. Ubirany estava internado no Hospital Casa São Bernardo, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, mas não resistiu.        

Via crucis - Também Diagnosticado com a Covid-19, Ferrão viveu uma triste rotina, comum às milhares de pessoas que são infectadas pelo coronavírus, e acabaram engrossando as tristes estatísticas de mortes pela doença. Há 20 dias, começou a se sentir mal, com dores no corpo e febre. Cumpriu a primeira etapa, tomando medicamentos e se isolando em casa, em SG. Mas seu estado de saúde piorou e acabou tendo que ser internado no Hospital das Clínicas do Fonseca, em São Gonçalo. Acabou falecendo no último dia 11 de dezembro, mesma data em que foi anunciada a morte do integrante do Grupo Fundo de Quintal.

Sepultamentos -  O sábado foi de muita tristeza para os parentes de amigos de Ferrão e Ubirany, que foram sepultados, sob aplausos, em cerimônias rápidas e restritas apenas a familiares, como determinam as autoridades de saúde, para os casos de óbitos decorrentes da covid-19. No fim da manhã, Ferrão foi enterrado no Cemitério do Maruí, no Barreto. Já os parentes de Ubirany se despediram do 'Chapinha' à tarde, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio. 

Números - O Brasil registrou 690 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 181.143 óbitos desde o começo da pandemia, em março desse ano. Em casos confirmados, nada menos que 6, 8 milhões de brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus.

Matérias Relacionadas