Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,0950 Euro up 5,2478
Search

Coronavírus: Bolsonaro anuncia vacinação gratuita e não obrigatória

Presidente deu informações horas após governador de SP, João Dória, anunciar início do plano de vacinação a partir de 25 de janeiro

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 07 de dezembro de 2020 - 19:47
“Não foram encaminhados dados relativos à fase III, que é a fase que confirma a segurança e eficácia da vacina”, disse a agência
“Não foram encaminhados dados relativos à fase III, que é a fase que confirma a segurança e eficácia da vacina”, disse a agência -

Com Redação e Agência Brasil 

O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta segunda-feira (7), que o governo federal vai oferecer vacina contra a covid-19 para toda a população de forma gratuita e não obrigatória. "Havendo certificação da Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária] (orientações científicas e preceitos legais), o governo ofertará a vacina a todos, gratuita e não obrigatória", escreveu o presidente, em sua conta no Twitter. Bolsonaro postos informações nas redes sociais horas após o governador de SP, João Dória, anunciar um plano de vacinação naquele estado, a partir do dia 25 de janeiro.    

Bolsonaro, que se reuniu mais cedo com o ministro da Economia, Paulo Guedes, destacou ainda que os recursos para a aquisição dos imunizantes estão garantidos. "Não faltarão recursos para que todos sejam atendidos". O Ministério da Saúde tem acordo para a compra de doses produzidas pela farmacêutica britânica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, incluindo um pacto de transferência de tecnologia e produção local da vacina pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O governo federal mantém contato com outros laboratórios estrangeiros que desenvolvem doses contra a covid-19 e que, se aprovadas, também poderão ser adquiridas para imunizar a população.

Vacinação em São Paulo - O presidente anunciou as novas medidas em um momento que o governador de São Paulo, João Dória, divulgou um plano estadual de vacinação contra a covid-19 a partir de 25 de janeiro, começando por idosos e trabalhadores da saúde. O governo paulista trabalha com a compra da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. O imunizante ainda não tem registro na Anvisa, etapa prévia necessária para que a dose seja usada na população.

Nesta segunda-feira (07), foi anunciado pela ANVSA que até o momento, não foram encaminhados dados relativos à fase 3 da pesquisa da Coronavac, vacina que está sendo desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Está sendo preparado o Relatório de Inspeção, e o Instituto Butantan tem o prazo de cinco dias úteis do recebimento para responder, visto que é o documento conclusivo para a certificação do imunizante. A informação veio depois de Doria criticar o programa de imunização anunciado pelo governo federal e declarar que o programa estadual de vacinação terá início no dia 25 de janeiro.

Matérias Relacionadas