Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,0741 Euro down 5,2058
Search

Vazamento de esgoto na RJ-104 dá 'banho' em carros e pedestres

Um motociclista que passa pelo local foi quem denunciou o caso

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 01 de dezembro de 2020 - 10:25
As pessoas que passam pelo local tomam um "banho" de esgoto
As pessoas que passam pelo local tomam um "banho" de esgoto -

Por Ana Carolina Moraes*

As pessoas que passam ou moram próximo à RJ-104, na altura do km 7, estão passando por uma situação cada vez mais desconfortável. Há cerca de seis semanas, um vazamento de esgoto in natura está jorrando no local. As águas fétidas e sujas do esgoto molham tanto as pessoas que passam na região quanto os carros e motoristas que trafegam pela rodovia. O vazamento fica de frente a um supermercado em Tribobó. 

A situação é tão revoltante que o recepcionista Vicente Pereira Silva, de 51 anos, que passa todo dia de moto pelo local, denunciou o caso para a equipe de reportagem do jornal O SÃO GONÇALO. Segundo ele, ao todo, são dois vazamentos próximos no local. "Eu acredito que seja um entupimento no esgoto do local, pois a água suja começou a jorrar do nada, dia e noite. Além disso, o mal cheiro é insuportável. Sem contar que quando veículos passam em alta velocidade no local, eles dão um banho de esgoto em outros carros e pessoas. O esgoto jorra do canteiro central da via até o lado oposto, onde segue por uma vala e cai num bueiro", contou. 

Há dois vazamentos de esgoto na localidade
Há dois vazamentos de esgoto na localidade |  Foto: Arquivo pessoal
 

Vicente pede que a situação seja resolvida logo. "Isso já acontece há semanas e nenhuma providência é tomada pelos órgãos competentes. Acredito que seja de responsabilidade da Cedae", contou ele. 

Em nota, a Cedae informou que "não há vazamento em rede da Companhia no local."

Em nota, a Fundação Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (DER-RJ) informou que "o esgoto pertence à prefeitura, mas enviará um ofício ao secretário municipal de desenvolvimento urbano alertando sobre o problema."

*Estagiária sob supervisão de Marcela Freitas 

Matérias Relacionadas