Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down 5,0721 Euro down 5,1925
Search

Aprovado PL que determina criação de Centros de Referência para Vítimas de Violência Motivada por Intolerância Religiosa

Dados apontam que este tipo de violência é corriqueira Brasil afora

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 20 de novembro de 2020 - 13:00
O projeto é de utoria dos Deputados Renata Souza, Flavio Serafini, Waldeck Carneiro e Eliomar Coelho
O projeto é de utoria dos Deputados Renata Souza, Flavio Serafini, Waldeck Carneiro e Eliomar Coelho -

Foi aprovado nesta quinta-feira (05) o projeto  Nº 1773/2019, de autoria dos Deputados Renata Souza, Flavio Serafini, Waldeck Carneiro e Eliomar Coelho, que determina  a criação de Centros de Referência para vítimas  de violência motivada por intolerância religiosa no estado do Rio de Janeiro.

Atos de intolerância religiosa podem manifestar-se através de difamação, preconceito, exclusão social, destruição dos espaços sagrados, propriedades e símbolos religiosos. Dados apontam que este tipo de violência é corriqueira Brasil afora, chegando ao índice de uma denúncia a cada 15 horas. Como apontam os dados do Disque 100, o Estado do Rio de Janeiro é o líder em casos, possuindo os maiores índices de violência motivada por intolerância religiosa. De acordo com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, 800 atendimentos de intolerância religiosa foram registrados em 2017. 

A média chega a dois casos por dia e a maioria das vítimas são praticantes de religiões de matriz africana. Os tipos de intolerância mais correntes são discriminação, depredação, difamação e invasão. Praticantes de Umbanda, Candomblé, e outras religiões de matriz africana correspondem a 71,5% dos registros. Já os católicos correspondem a 9%, evangélicos 6%, e islâmicos, 3%.

A deputada Renata Souza  argumenta que “Por certo, a criação dos Centros de Referência para Vítimas de Violência Motivada por Intolerância Religiosa no Estado do Rio de Janeiro dará um passo fundamental para a estrutura de acolhimento às vítima e promoção de ações de prevenção e educação contra a intolerância.”

Matérias Relacionadas