Vacina de Oxford apresentou bons resultados para idosos, diz estudo

Estudo está em fase 3 no Brasil

Enviado Direto da Redação
Vacina de Oxford teve bons resultados em idosos

Vacina de Oxford teve bons resultados em idosos

Foto: Divulgação

De acordo com um estudo publicado pela revista 'The Lancet', uma das mais renomadas na área científica, nesta quinta (19), a vacina contra a Covid-19, produzida pela Universidade de Oxford, apresentou ótimos resultados para os idosos na fase 2 de testes. Em parceria com a AstraZeneca e a Fundação Oswaldo Cruz, a vacina de Oxford é uma das quatro que estão em testes de fase 3 no Brasil.


“As respostas robustas de anticorpos e células T vistas em pessoas mais velhas em nosso estudo são encorajadoras. Esperamos que isso signifique que nossa vacina ajudará a proteger algumas das pessoas mais vulneráveis da sociedade, mas mais pesquisas serão necessárias antes que possamos ter certeza”, afirmou um dos pesquisadores do estudo, Maheshi Remasamy.


Os testes desta vacina estão sendo testados em 560 participantes, incluindo 240 pessoas com mais de 70 anos. A segunda fase da pesquisa foi usada para verificar a segurança e a capacidade do imunizante de gerar uma resposta do sistema de defesa.


De acordo com o artigo publicado na revista, a vacina teve menos reações adversas em voluntários mais velhos do que nos mais jovens. As reações mais comuns identificadas pelos pesquisadores foram febre e dor de cabeça com intensidades de leve a moderada. 


Atualmente, o estudo está na fase 3 dos testes, onde a eficácia da vacina na imunização é verificada a partir do monitoramento de milhares de voluntários. Esta vacina é a primeira opção do governo federal para uma futura campanha de vacinação contra o novo coronavírus. No mês de agosto, as autoridades nacionais confirmaram que R$ 1,9 bilhão seria investido para a produção de 100 milhões de doses. Os testes no Brasil começaram em junho e já contam com 8 mil voluntários espalhados pelo país. 

Veja também