Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,0950 Euro up 5,2488
Search

Cursos online se tornam uma nova tendência dos brasileiros na pandemia

Em tempos de isolamento, a procura por cursos na web virou algo frequente no país

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 18 de novembro de 2020 - 10:37
Os cursos online se mostraram uma alternativa para a ausência das aulas presenciais
Os cursos online se mostraram uma alternativa para a ausência das aulas presenciais -

Por Luann Motta Carvalho*

A pandemia do novo coronavírus provocou mudanças em várias questões em todo o mundo. Com o isolamento social, novos hábitos surgiram na vida das pessoas, seja por necessidade de saúde ou para superar o tédio. Nesse cenário, os cursos online despontaram.

A procura pelos cursos online nesse período atípico disparou e se tornou um novo costume dos brasileiros, que se sentiram estimulados a buscar novas qualificações. Segundo um levantamento feito pelo Google, a demanda por cursos de especialização EAD teve um crescimento de 130% no pico da quarentena.

Algumas empresas aproveitaram o momento para alavancar o negócio, como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que adotou medidas para orientar empreendedores do país, como a oferta gratuita de cursos online. De acordo com a instituição, depois dessa ação, houve um aumento de 106% na comparação dos quatro primeiros meses de 2019 e 2020. No ano passado foram registradas 35 mil matrículas, enquanto que no ano atual, 122 mil.

Apesar disso, a experiência dos cursos online, no início do isolamento social, ainda gerava desconfianças nos usuários. Afinal, a educação à distância não era uma prática comum na vida de muitos brasileiros e somente após um tempo de adaptação, o inusitado pôde se tornar algo costumeiro. Foi o que o professor de hebraico no Rio, Dror Marko, de 31 anos, testemunhou.

“No início da pandemia houve, na verdade, uma redução do número de inscrições. Perfeitamente compreensível, pois a apreensão e as incertezas eram muitas. Apenas a partir do fim de abril e início de maio que percebemos um aumento na procura e nas inscrições efetivadas”, relatou o professor.

Para o estudante e morador de Niterói, Pedro Andrade, de 20 anos, os cursos presenciais prendem mais a sua atenção, mas ao mesmo tempo, ele observa as vantagens do curso online

. “O curso online permite que eu faça tudo no meu tempo, no conforto da minha casa”, contou o estudante.

Além disso, é possível enxergar um ponto favorável aos cursos online na simplicidade de obter as ferramentas necessárias para o estudo, como conta Pedro.

“Eu pretendo continuar fazendo cursos online, uma vez que muitos materiais de cursos complementares são disponibilizados gratuitamente, enquanto que nos cursos presenciais, geralmente, são pagos”, disse.

Os professores também notam as diferenças entre os modos de ensino na hora de lecionar.

“As turmas presenciais permitem uma interação direta com o aluno e o online cria uma certa distância, mas é algo que pode ser reduzido por meio das ferramentas digitais de comunicação, como as redes sociais, por exemplo”, afirmou o professor de Direito, Marcelo Sobral, de 40 anos, que dá aulas preparatórias para concursos públicos.

Diante disso, fica uma questão: os cursos online serão capazes de manter esse patamar de procura quando houver uma tendência de retorno às aulas presenciais? O professor Dror aposta que sim: “Meu palpite é que pode continuar aumentando, mas mais lentamente. Ainda vamos testemunhar muitas mudanças e algumas delas não têm mais volta. As pessoas viram que é possível fazer várias coisas que jamais imaginariam fazer à distância. O ensino online veio para ficar”, analisou.

Assim, com suas vantagens sendo reconhecidas, os cursos online podem se manter como um hábito usual no cotidiano dos brasileiros.

*Estagiário sob supervisão de Marcela Freitas 

Matérias Relacionadas