Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Ministério da Saúde confirma tentativa de ataque hacker

Nada foi divulgado anteriormente para preservar provas e garantir a segurança de dados

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 13 de novembro de 2020 - 19:20
Houve reclamações na semana passada devido a dificuldade ao acesso às redes
Houve reclamações na semana passada devido a dificuldade ao acesso às redes -

Foi divulgado nesta sexta-feira (13), pelo secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, que o sistema de informática da pasta sofreu uma tentativa de ataque cibernético. Houve reclamações na semana anterior sobre a dificuldade ao acesso às redes. E logo o órgão relatou as ocorrências devido a “um vírus”.

Elcio Franco revela que há indícios de que a pasta também foi alvo de tentativas de ataques cibernéticos, mesmo não havendo laudo conclusivo. “O ministério não divulgou nada anteriormente para preservar provas e garantir a segurança de dados", completa.

O ministério não conseguiu encaminhar o boletim epidemiológico da Covid-19 – documento que fornece todas as informações em relação aos casos de coronavírus no país – devido ao ataque cibernético, causando complicações ao acesso da população aos dados.

O secretário explica que a dificuldade do acesso às redes ocorreu em razão do bloqueio da base de dados, feita para preservar o ministério. Mesmo assim, foram enviadas as informações diárias da Covis-19 diretamente à imprensa. E por conta disso, o boletim epidemiológico semanal não foi divulgado.

Ainda segundo Franco, houve indisponibilidade de servidores de e-mails e de internet no ministério. Mas ele afirma que foram restabelecidos e os dados foram preservados. “Cabe retificar que todas as medidas necessárias foram preservadas a identidade de sistemas e de servidores foram tomadas. Não houve sequestro ou vazamento de informações”, completa.

Foi anunciado também pelo secretário, que golpes estão sendo feitos em nome do Ministério da Saúde e a recomendação atenção a população. Franco deixa claro que a MS não está fazendo nenhuma pesquisa, e nem mesmo solicita dados via telefone pelo SUS.

Matérias Relacionadas