'Bondes' de fantasias resistem e lutam para resgatar Carnaval de rua em SG

'UDB' foi criada por grupos de amigos e em meio à incerteza para 2021, por causa da pandemia, foca trabalho em ações sociais à pessoas carentes

Escrito por Redação 13/11/2020 11:35, atualizado em 13/11/2020 12:30
. Foto: Divulgação - Ana Victória

Carnaval é sempre sinônimo de alegria e confraternização. Mas em São Gonçalo, a folia de rua foi deixada de lado nas duas últimas gestões municipais. E o surgimento da pandemia, provocada pelo novo cornavírus, serviu para agravar ainda mais situação, gerando incertezas até naqueles que com os próprios recursos, ainda lutam para que uma das mais tradicionais formas da cultura brasileira não caia no esquecimento na cidade. Mas em meio ao clima de 'quarta-feira de cinzas' que deve perdurar enquanto não houver a cura para a covid-19, ainda sopram 'ventos' de esperança e surgem boas iniciativas que podem fazer a diferença quando tudo se normalizar, a partir de 2021, segundo projetam as próprias autoridades de saúde brasileiras.


Para não deixar o Carnaval de rua cair no esquecimento, um grupo de amigos fundo há três anos,  a União dos Bondes (UDB) de São Gonçalo, que congrega cinco diferentes grupos, com pessoas de diferentes idades, tendo em comum o espírito de fazer da festa a melhor forma de se confraternizar  coletivamente, em nome de grandes amizades. Para quem não sabe, os 'bondes', se vestem com uma mesma fantasia e saem as ruas todos os anos, dando um 'toque especial' nos locais onde há Carnaval de rua. Para quem não sabe, desse segmento, surgiram blocos de embalo e até mesmo escolas de samba no eixo São Gonçalo-Niterói, nas décadas de 70 e 80. 


"Nós decidimos unir forças para manter essa tradição e dar nossa parcela de colaboração, como setor organizado, para fazer frente à falta de apoio do poder  público na cidade", afirmou Luiz Fernando de Oliveira Carvalho o 'Zeba', um dos que está à frente da UDB. Nos últimos três anos, a rotina desses amantes do Carnaval têm sido a mesma: com organização, trabalho e união, eles têm conseguido fazer a diferença, indo às ruas com fantasias bem acabadas e 'glamurosas', com temática sempre diferente a cada Carnaval.  'Zeba' é um dos fundadores do 'Bonde da Cabana' , que faz a 'alegria' dos foliões do bairro do Boa Vista há dez anos.   

 

Além de 'Zeba, fazem parte do grupo Francis Gomes Carvalho, o 'Zulu', da 'Turma Os Melhores' (Rocha), Maurício Botti, do 'Bonde Sem Limite1 (Lindo Parque)', Ramon Neri Novato, do 'Bonde do Padre' (Galo Branco) e Paulo Henrique Santos Gonzaga, do 'Bonde da Relíquia (Lindo Parque)'. Além do espírito folião, eles também decidiram dar um cunho social  ao trabalho organizado, com a criação de ações, em que são arrecadados donativos para entidades assistenciais e igrejas de São Gonçalo. Diante da incerteza que existe para a realização do Carnaval 20201 no país, em função da pandemia provocada pelo novo coronavírus, a UDB vêm focando seu trabalho nessa linha de ação.

 

"O momento é o de ajudar ao próximo, em função dos tempos em que estamos vivendo", afirmou Zeba. Em relação ao Carnaval, os integrantes da UDB afirmam ter esperanças de que possa haver alguma forma de celebração em 2021, mas sabem que isso dependerá da massificação de vacinas que possam surgir a partir do início do ano que vem, segundo previsões das autoridades de saúde brasileiras. Eles torcem também para que a partir das eleições municipais desse mês de novembro, possam surgir governantes com propostas de revitalização do Carnaval de rua na cidade.

 

. Foto por Divulgação - Ana Victória
. Foto por Divulgação - Ana Victória
. Foto por Divulgação
membros dos 'bondes' estão arrecadando mantimentos para entidades assistenciais e igrejas
membros dos 'bondes' estão arrecadando mantimentos para entidades assistenciais e igrejas . Foto por Sergio Soares

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas