Funcionários do HFB fazem manifestação para que ele continue funcionando

Funcionários temem que o local seja fechado

Enviado Direto da Redação
O hospital sofreu com um incêndio na última terça-feira (27)

O hospital sofreu com um incêndio na última terça-feira (27)

Foto: Divulgação

Funcionários do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) invadiram a unidade de saúde na manhã desta sexta-feira (30). Eles realizaram o ato como forma de protesto, pois desejam a reabertura do hospital, que já se encontra fechado há quatro dias, desde o incêndio que atingiu o prédio um (1) da unidade na última terça-feira (27). Os pacientes que estavam internados foram remanejados para outros hospitais da região e três pessoas morreram no incêndio. As informações são do jornal O Dia.


O ato, inicialmente, estava marcado para ocorrer na fachada do hospital, mas os manifestantes resolveram entrar na unidade. A Polícia Militar foi acionada e está no local para conter as pessoas.


Os manifestantes desejam, com sua manifestação pacífica, fazer com que os atendimentos continuem na unidade de saúde nos lugares aonde o fogo não chegou. Segundo informações, alguns deles afirmam que há um documento dizendo que a unidade será fechada e os funcionários realocados, mas eles não querem isso sem um laudo que mostre o que será feito do futuro do prédio que já salvou tantas vidas. Alguns deles afirmam que os hospitais próximos não conseguem atender a demanda da comunidade local como eles e que o RH do hospital está sendo desmontado. 


Vale lembrar que, nesta sexta-feira (30), a Defesa Civil fará uma vistoria no local para saber como está a unidade. A perícia foi autorizada pelos Bombeiros. As consultas daqueles que estavam marcados para hoje (30) na unidade, antes do incêndio, foram canceladas e os profissionais do local vão entrar em contato com o paciente para falar sobre o remanejamento deste para outra unidade. 


O diretor do Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj), Flávio Antônio Sá Ribeiro, afirmou que o HFB deveria continuar funcionando, já que é uma unidade de saúde grande. Ele disse que aguarda os relatórios dos bombeiros e da polícia e que fará de tudo para a unidade permanecer aberta, já que também atende muitas pessoas de fora da cidade do Rio, por ser uma referência em atendimento.

Veja também