Gonçalense, do Jardim Catarina, recebe o título de Miss Beleza Trans 2020

Eloá disputou com candidatas de outros 22 estados

Escrito por Redação 26/10/2020 17:13, atualizado em 26/10/2020 18:12
Eloá agora se prepara para disputar o concurso internacional
Eloá agora se prepara para disputar o concurso internacional . Foto: Divulgação

Por Daniel Magalhães*

Uma gonçalense de 27 anos foi coroada como o título de "Miss Beleza Trans Brasil 2020", que aconteceu no último fim de semana, em São Paulo. Eloá Rodrigues, nascida e criada em Jardim Catarina, foi reconhecida como a mulher trans mais bonita do país. A vitória, que veio após grandes lutas e desafios desde que entrou no "Mundo Miss" três anos atrás, é mais do que apenas no campo da beleza, mas uma oportunidade de lutar contra o preconceito e o racismo.

"Isso tudo é a realização de um sonho, primeiramente. Tudo é fruto de muito trabalho, muita dedicação, bastante gente envolvida que acreditou e sonhou junto comigo. Mas também representa a possibilidade de ecoar os trabalhos onde estou inserida no ativismo, na busca pela equidade de direitos", disse a Miss, que também é estudante de Ciências Sociais, atua na ONG "Grupo Diversidade" em Niterói e também preside o conselho municipal LGBT do município.

Para Eloá, a conquista também é um grande passo para que os negros passem a ocupar espaços que, segundo ela, não foram pensados para essas pessoas, lugares onde há pouca ou nenhuma representatividade. 


"Essa conquista serve para inspirar pessoas com realidades parecidas com a minha e mostrar que é possível chegar nesses lugares e que é possível construir novas narrativas do que é belo. Esse prêmio representa muitas coisas positivas", completou.

Logo após a vitória, Eloá foi atacada por internautas e outras candidatas que não ficaram contentes com suas colocações, entre elas a representante do Mato Grosso do Sul, Mariane Cordon Cáceres, de 22 anos, que publicou um vídeo nas redes sociais reclamando dos resultados.

“Representei lindamente o Estado do Mato Grosso do Sul, peguei um ‘Top 5’, que era minha intenção, mas eu sei que, de acordo com a minha desenvoltura e o meu resultado, eu merecia ir muito além e não deveria ter perdido ‘para isso’, disse a candidata do MS, que se justificou no dia seguinte dizendo que se referia ao desempenho dela na competição e não a Eloá.

Mas Eloá diz que não se concentra nos comentários negativos e absorve somente o apoio que tem recebido de diferentes pessoas e focando nos aspectos positivos de ter participado e ganhado a competição. A própria existência do concurso, para Eloá, já representa inúmeras conquistas, ainda mais morando no Brasil, que desde 2008 lidera o ranking de países que mais mata travestis e transexuais no mundo, de acordo com dados internacionais da ONG Transgender Europe.

"Eu acredito que só com a naturalização das nossas existências, nós vamos sofrer menos preconceito e as pessoas vão parar de naturalizar os casos de transfobia", disse.

Eloá foi coroada como Miss Rio de Janeiro em 2019 e 2020
Eloá foi coroada como Miss Rio de Janeiro em 2019 e 2020 | Foto: Reprodução/Redes Sociais
 


Os próximos passos de Eloá acontecerão após alguns dias em um merecido descanso. Depois, ela e sua equipe começará os preparativos para o "Miss International Queen", que acontece todo ano na Tailândia, onde ela competirá com candidatas de outros países.

Por hora, Eloá está feliz em trazer a coroa para a cidade onde é nascida e criada. "Foi muito emocionante ver toda minha família me apoiando, que na verdade sempre me apoiou desde o primeiro concurso. Eu estou muito feliz porque houve uma grande expectativa para trazer essa coroa para o Rio de Janeiro e especificamente para São Gonçalo.", finalizou.

*Estagiário sob supervisão de Thiago Soares

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas