Professor da UFRJ investigado pela PF por tráfico de fósseis

Docente não foi identificado

Enviado Direto da Redação
Fósseis são bens da União e patrimônio cultural e natural do país

Fósseis são bens da União e patrimônio cultural e natural do país

Foto: Reprodução/PF

Um professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) é alvo de investigações da Policia Federal em uma operação que investiga tráfico de fósseis na região da Chapada do Araripe, no Ceará. Segundo informações dos investigadores, o professor realizava pagamentos mensais a operários de pedreiras da região para obter os fósseis ilegalmente. A Polícia Federal não divulgou o nome do professor.

Todos os fósseis encontrados em território nacional são bens da União e integram o patrimônio cultural e natural do País. O esquema, segundo o Ministério Público Federal do Ceará (MPF), consistia na extração e comercialização ilegal dos fósseis por trabalhadores que atuam nas pedreiras da região da Chapa. Além das mensalidades, os investigados recebiam pagamento pelas peças encontradas.

A UFRJ divulgou uma nota onde afirma que todos os fósseis sob guarda da UFRJ estão cadastrados e catalogados.

"Destacamos que todos os fósseis sob a guarda da UFRJ estão legalmente cadastrados e catalogados na instituição e notificados aos órgãos responsáveis. Além disso, todos os docentes e a própria unidade (Instituto de Geociências) têm documento de autorização para coleta e pesquisa de fósseis na Bacia do Araripe (CE), fornecido pela Agência Nacional de Mineração (ANM), uma autarquia federal ligada ao Ministério de Minas e Energia (MME), responsável pelo gerenciamento da atividade de mineração e dos recursos minerais do país", diz parte do texto.

Veja também