Ambulante é flagrado supostamente vendendo cloroquina em trem no Rio

Medicamento só pode ser vendido com receita médica

Enviado Direto da Redação
Imagem mostra homem vendendo medicamento de forma ilegal em trem no Rio

Imagem mostra homem vendendo medicamento de forma ilegal em trem no Rio

Foto: Reprodução/Twitter

A imagem de um ambulante vendendo medicamentos, entre eles supostamente estaria a hidroxicloroquina, viralizou nas redes sociais nesta quarta (5). De acordo com o o site da Rádio Tupi, a situação aconteceu no trem Ramal Japeri, na Região Metropolitana do Rio, e o ambulante estaria negociando com um passageiro a venda do medicamento que foi alvo de polêmica neste período de pandemia.

A Supervia, concessionária responsável pelos trens no Rio, disse para o jornal da Tupi que os agentes não possuem poder de polícia, não tendo competência ou habilitação para a apreensão de mercadorias. A empresa disse ainda que é proibida a negociação ou comercialização de produtos e serviços no interior dos trens, nas estações e instalações, exceto aqueles autorizados pela Administração Ferroviária.

Já a Polícia Militar informou que o Grupamento de Policiamento Ferroviário tem uma ação chamada de “Parada Programada”, que consiste em uma revista no vagões durante a parada de uma composição, com o intuito de coibir qualquer tipo de irregularidade.

Hidroxicloroquina somente com receita

No último dia 24 de julho, após muitas opiniões contrárias e artigos afirmando que a hidroxicloroquina não poderia ser eficaz no combate ao coronavírus, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda sem receita desse medicamento em farmácias.

Ainda segundo a Anvisa, o objetivo da norma é impedir a compra indiscriminada de medicamentos que têm sido amplamente divulgados como potencialmente benéficos no combate à infecção pelo novo coronavírus, embora ainda não existam estudos conclusivos sobre o uso desses fármacos para o tratamento da doença.

Veja também