Polícia vai investigar agressão de PM a universitárias dentro do apartamento delas

O policial utilizou um cacetete e ameaçou as jovens

Enviado Direto da Redação
O caso ocorreu na última segunda-feira (03)

O caso ocorreu na última segunda-feira (03)

Foto: Reprodução/Internet

Um vídeo mobilizou a internet nos últimos dias. Isso porque, na situação, quatro jovens tem seu apartamento invadido e são agredidas por um policial militar, que não estava de farda, e que mora no mesmo prédio delas. Na situação, o agente utilizou um cacetete para bater nas jovens e ainda gritou com elas. O caso ocorreu na noite da última segunda-feira (03). O policial teria invadido o apartamento, pois a jovens estariam fazendo muito barulho. As alunas da Universidade de Santa Catarina (UDESC), em Lages, estariam comemorando a aprovação do Trabalho de Conclusão de Curso ( TCC ) de uma delas.


No vídeo que está na internet, o policial e sua esposa entram no apartamento das jovens e o agente começa a xingá-las e a bater com o cacetete na mesa. O homem ainda as ameaça. Sua esposa  tenta um embate físico, pois percebe que as jovens estão filmando a cena e tenta pegar o celular de uma delas à força. 


Segundo informações, a celebração das garotas não causou aglomeração, já que as quatro moravam juntas no local. Elas estariam comemorando. Festas e confraternizações são permitidas no condomínio em questão até às 22h. Por causa disso, o policial teria aguardado até o horário das 22h01 para invadir o apartamento das meninas para ameaçá-las e as agredir.


Ainda na internet, é possível encontrar imagens das meninas com marcas roxas da agressão por todo o corpo. O agente responsável pelo ato atua na 6º Batalhão da Polícia Militar. As jovens vítimas registraram um boletim de ocorrência do caso e fizeram o exame de corpo de delito na última terça-feira (04).A Polícia Civil de Santa Catarina e o Ministério Público (MPSC) devem investigar a agressão as universitárias.


A hastag "Santa Catarina" foi um dos assuntos mais comentados no Twitter nos últimos dias por causa do caso, que ganhou visibilidade nacional. 


Alunas da UDESC realizaram um ato, na última terça-feira (04), contra o machismo. A passeata teve início na universidade delas e se dirigiu até o batalhão da PM. Os jovens realizaram o ato como uma forma de se solidarizar com as colegas agredidas. 


Em nota, o 6º Batalhão da Polícia Militar disse que o policial envolvido no caso já estava afastado por fazer parte do grupo de risco do coronavírus. O Batalhão informou também que um inquérito foi instaurado para avaliar os fatos. "A Instituição afirmar tratar-se de um fato isolado que não condiz com a formação e a preparação dos policiais militares catarinenses. Ressalta ainda, que não coaduna com qualquer conduta irregular, bem como violência contra mulher", dizia a nota ao R7.


Confira o vídeo do caso no link a seguir: https://www.instagram.com/p/CDdyJ3pj5Ub/ 

Veja também