Planalto passa por surto de contaminação da Covid-19 e é apelidado de “covidário”

Local teve 65% de aumento no número de infectados

Enviado Direto da Redação
Palácio do Planalto registra aumento de 65% nos casos confirmados de Covid-19

Palácio do Planalto registra aumento de 65% nos casos confirmados de Covid-19

Foto: Divulgação/ Agência Brasil

O Palácio Planalto, em Brasília, registrou um aumento de 70 novos casos do novo coronavírus desde que o presidente da república, Jair Bolsonaro, anunciou que estava com o vírus. Segundo a Secretaria-Geral, eram 178 casos confirmados até 31 de julho. Um aumento de 65% se comparado com o balanço anterior, que era de 108 casos até o dia 3 de julho.

A Secretaria alegou ainda que o aumento desses números inclui os testes que já haviam sido feitos antes do dia 3, mas que os resultados só foram informados agora. Nos corredores do Palácio, o local foi apelidado como “covidário”, após a descoberta do aumento de contaminação.

O presidente Bolsonaro anunciou que havia testado positivo para o Covid-19 no dia 7 de julho e que se recuperou no dia 25 do mesmo mês. Este período coincide com o período de aumento dos casos no local. Atualmente são 3.400 funcionários, sendo que alguns estão em trabalho remoto e outros estão trabalhando por rodízio.

Ainda de acordo com a Secretaria-Geral, 31 servidores estão em tratamento e 147 já estão recuperados.

Na segunda (3), Braga Netto foi o sétimo ministro a informar que testou positivo para a Covid-19. Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, Bento Albuquerque, de Minas e Energia, Milton Ribeiro, da Educação, Onyx Lorenzoni, da Cidadania, Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia e Inovações e Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União, também já foram contaminados.

Na última quinta (30), a primeira-dama Michelle Bolsonaro também testou positivo para o novo coronavírus e segue em isolamento.

Veja também