Prefeito de Itajaí sugere ozônio no ânus para tratar pacientes com Covid-19

O procedimento não tem eficácia comprovada contra o coronavírus

Enviado Direto da Redação
O anúncio foi feito em uma live no Facebook

O anúncio foi feito em uma live no Facebook

Foto: Reprodução/Internet

Volnei Morastoni (MDB), o prefeito de Itajaí (SC), anunciou, através de uma live no Facebook na última segunda-feira (03), um novo tratamento que ele acredita ser eficaz contra o coronavírus: trata-se de inserir ozônio no corpo dos pacientes infectados através do ânus. O procedimento não tem eficácia comprovada contra o coronavírus.


Segundo o anunciado por Volnei, que também é médico, ele pretende levar a pesquisa sobre o ozônio contra a doença para outro patamar. Ele informou que inscreveu a sua cidade para fazer parte da Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa), ligada ao Ministério da Saúde. O objetivo dele, nessa inscrição, é fazer com que a cidade possa integrar um protocolo de pesquisa sobre o uso do ozônio contra o coronavírus. 


"Provavelmente vai ser uma aplicação via retal, uma aplicação tranquilíssima, rapidíssima, de dois minutos, num cateter fininho e isso dá um resultado excelente", afirmou o prefeito de Itajaí.


Segundo Volnei, o tratamento seria apenas para aqueles que desejarem e só seria aplicado em pacientes que tem o vírus confirmado. Volnei acredita que seriam necessárias dez sessões de ozônio para lidar melhor com a doença. Ele afirmou que as sessões serão "simples, rápidas, de dois a três minutinhos por dia". 


Essa não é a primeira vez que Volnei sugere tratamentos complementares contra o coronavírus. Ele mesmo afirmou, na live em que fala do ozônio, sobre os outros procedimentos que tentou realizar na cidade. "Além da ivermectina, da azitromicina, além da cânfora, nós vamos fornecer o ozônio", disse o prefeito.


No início de julho, a Prefeitura de Itajaí distribuiu ivermectina para os seus moradores para tratar o coronavírus. O remédio é utilizado para tratar vermes e parasitas e não tem eficácia comprovada contra o coronavírus. 


Vale lembrar que o ozônio também não tem nenhuma eficácia comprovada contra o coronavírus. Na realidade, o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde (OMS) já divulgaram que ainda não existe uma cura comprovada para o coronavírus, também não há nenhum medicamento ou tratamento eficaz cientificamente contra a doença. 

Veja também