Queiroz diz que Flávio Bolsonaro ficou "chateado" ao saber sobre 'Rachadinha'

O depoimento do ex-assessor foi colhido ainda no presídio

Enviado Direto da Redação
O caso da 'Rachadinha' segue sendo investigado

O caso da 'Rachadinha' segue sendo investigado

Foto: Reprodução/Internet

Trechos do depoimento de Fabrício de Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro e acusado de envolvimento no esquema da "Rachadinha", foram noticiados pela imprensa na última segunda-feira (03). O Jornal Nacional foi quem teve acesso primeiro ao depoimento de Queiroz para o procurador do caso. Na conversa, Queiroz afirma que Flávio não sabia sobre o esquema de 'Rachadinha' e que o filho de Bolsonaro teria ficado chateado quando soube. 


"Eu tive um contato com o senador. Ele (Flávio Bolsonaro) não era senador, era deputado, mas já estava eleito. Eu dei satisfação a ele do que aconteceu. Ele estava muito chateado, revoltado. Ele falou: 'Não acredito que tu tenha feito isso, não acredito'", disse Queiroz ao procurador Eduardo Benones, do Ministério Público Federal do Rio. A conversa divulgada aconteceu no presídio de Bangu 8, onde Queiroz ficou preso por 22 dias até conseguir sua prisão domiciliar em 10 de julho. 


Segundo o Ministério Público do Rio, Flávio Bolsonaro pode ser o chefe de uma organização criminosa envolvida no esquema da 'Rachadinha', na qual, pelo menos, 13 assessores repassavam parte de seus salários para Queiroz. Flávio é um dos acusados de irregularidades.


Queiroz é também um dos investigados pelo suposto vazamento da Operação Furna da Onça, que trabalha para investigar corrupções na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. 


Queiroz também afirmou, na mesma conversa divulgada, que assumiria, em 2018, um cargo em Brasília com o apoio da família Bolsonaro. "Com um ou com outro (Bolsonaro ou Flávio)", disse Fabrício. "Em Brasília?", perguntou o procurador. "Era o certo, não é? Acho que sim. Só se eles não quisessem", afirmou o ex-assessor. Fabrício ainda disse que não se lembra de ter falado com presidente Jair Bolsonaro após a descoberta pública do esquema da 'Rachadinha'. 

Veja também