Centrais Sindicais farão Dia de Luto em 7 de agosto

Trabalhadores ficarão parados por 100 minutos

Enviado Direto da Redação
Em milhares de fábricas, trabalhadores (as) ficarão parados por 100 minutos

Em milhares de fábricas, trabalhadores (as) ficarão parados por 100 minutos

Foto: Reprodução/Internet

As Centrais Sindicais (CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, CSP/Conlutas, Intersindical, Intersindical/Instrumento de Luta, CGTB e Central Pública) estão organizando um Dia de Luto e de Luta para protestar e alertar a sociedade sobre as medidas equivocadas e desastrosas do governo Bolsonaro, que desorganizaram e confundiram as ações de enfrentamento à pandemia da Covid-19, colocando o País na iminência de atingir 100 mil óbitos nesta semana.


Diante disso, no dia 7 de Agosto (sexta-feira), as Centrais Sindicais e suas entidades filiadas – sindicatos, federações e confederações - irão realizar atos, protestos e paralisações em todas as regiões do Brasil.


Em milhares de fábricas, trabalhadores (as) ficarão parados por 100 minutos; em algumas cidades, os sindicalistas acenderão velas e colocarão cruzes em locais públicos. Há também uma campanha incentivando os brasileiros a colocarem pano branco nas janelas como forma de lembrar a situação que atravessamos.


Vale ressaltar que, além de ter contribuído para a perda de milhares de vidas, o descaso e o descontrole com os quais o governo tratou a pandemia lançaram o Brasil numa das maiores crises econômicas e sociais de toda a sua história, com a extinção em massa de empregos e de empresas.


As Centrais Sindicais vão cobrar, também, a manutenção do auxílio-emergencial de 600 reais até dezembro/2020, fortalecimento do SUS (Sistema Único do Saúde), ampliação das parcelas do seguro-desemprego, mais equipamentos de proteção individual e coletivo para as categorias essenciais e mais créditos para as micros e pequenas empresas.

Veja também