PM investiga 400 homens da corporação sob suspeita de recebimento de auxílio emergencial irregularmente

Procedimento se baseia em levantamento feito pela Corregedoria da União e do TCE. Policiais são de unidades da capital e interior

Enviado Direto da Redação
Auxílio é para ajudar pessoas que ficaram sem renda por causa da pandemia

Auxílio é para ajudar pessoas que ficaram sem renda por causa da pandemia

Foto: Divulgação CEF


A Secretaria de Polícia Militar do Estado do Rio iniciou uma apuração interna para investigar cerca 400 policiais militares suspeitos de terem recebido, indevidamente,  benefícios de Auxílio Emergencial de valores entre R$ 600 e R$ 1,2 mil. O procedimento está baseado em um levantamento feito pela Corregedoria-Geral da União e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Rio, que detectou a fraude através de cruzamento de dados. 



Os responsáveis pela elaboração do relatório também detectaram outros 291 tiveram a solicitação negada. Por determinação do secretário da PM, coronel Rogério Figueredo,  as apurações estão sendo elaborados por comissões criadas em cada unidade da corporação. Há casos de policiais de unidades do interior terem requerido o benefício, como em Niterói, São Gonçalo e Região dos Lagos. 



Histórico - Os dados sobre recebimentos indevidos foram enviados no dia 23 de junho pela presidente do Tribunal de Contas do Rio, Marianna Montebello Willeman, para o coronel Figueredo. No documento, Marianna solicita que os servidores sejam alertados individualmente sobre as regras para recebimento do benefício e ressalta que “as condutas de solicitação e de recebimento do auxílio emergencial, mediante inserção ou declaração de informações falsas em sistemas de solicitação do benefício, podem caracterizar os crimes de falsidade ideológica e estelionato”.



Pela regra, aqueles que possuem emprego formal ativo não têm direito ao auxílio. Também há restrições para quem recebe benefícios previdenciários e para determinadas faixas de renda familiar. O relatório produzido pela Diretoria de Veteranos e Pensionistas da PM revela, por exemplo, revela que foram feitas solicitações com os CPFs de três policiais mortos. Os relatórios indicam que há peidos de PMs de unidades do interior sendo investigados, como Niterói, São Gonçalo e Região dos Lagos.



Pandemia - O governo federal criou o auxílio emergencial para tentar ajudar a população em função da pandemia provocada pelo novo coronavírus, a partir de março desse ano. A Caixa Econômica Federal (CEF) disponibiliza os valores para trabalhadores informais, autônomos e desempregados que não possuem renda fixa. Vários golpes já foram descobertos. No mês passado, por exemplo, a policia descobriu que traficantes de drogas, já procurados e com mandados de prisão em aberto, haviam feito a solicitação. 



Em outro caso, outras pessoas tentaram aplicar golpes na internet,fazendo circular um falso link para fazer o cadastramento a fim de receber o auxílio. Na fraude, havia até uma mensagem afirmando ser possível sacar os R$ 600 imediatamente após preencher as informações. O procedimento era, na realidade, uma forma de obter os dados da pessoa e tentar se antecipar para conseguir cadastrar o benefício com dados da vítima, ou aplicar outros tipos de golpe. 

Veja também