Homem perde o pênis e reconstrói um novo em seu braço

Malcolm carrega seu pênis no seu braço até hoje

Enviado Direto da Redação
O homem perdeu o pênis após uma infecção no sangue

O homem perdeu o pênis após uma infecção no sangue

Foto: Reprodução/Internet

Imagina perder o pênis e ter que reconstruí-lo com uma parte de seu braço? E mais, ficar com o órgão que foi refeito no braço por quatro anos, esperando a implementação dele na genitália? Essa é a vida do mecânico britânico Malcolm MacDonald, de 45 anos, que, em 2014, sofreu uma grave infecção no sangue e perdeu o pênis. Em uma entrevista para o The Sun, Malcolm disse que sofreu com a falta de confiança em si mesmo depois da perda do órgão até que os médicos resolveram fazer um novo para ele utilizando a pele de seu braço. 


“Eu lutava há anos com uma infecção, mas não fazia ideia do que poderia acontecer. Ela se espalhou pelos meus dedos das mãos e dos pés e os tornou pretos. Quando vi meu pênis escurecer, fiquei fora de mim. Foi como um filme de terror. "Então um dia ele caiu no chão", conta Malcom que afirmou perder a autoestima após o ocorrido.


Após o pênis cair no chão, Malcolm pegou seu órgão e o jogou no lixo. Depois disso, ele afirmou que começou a ficar mais recluso e começou a beber demais durante dois anos. "Me senti a sombra de um homem. Minha vida realmente desmoronou, eu não tinha autoconfiança. Bebi demais. Não vi familiares e amigos, só não queria ter que enfrentar isso", relembrou o britânico.


Malcolm, no entanto, afirma que seu maior medo não foi com relação a sua vida sexual, já que ele já era pai de dois meninos, mas sim com relação a sua autoestima para utilizar o banheiro. “Não ter um pênis foi horrível. É o pior medo da maioria dos homens. Para mim, nunca me preocupei com sexo, porque já tinha dois filhos. Sempre foi mais sobre minha autoconfiança e coisas simples, como usar o banheiro", afirmou ele.


A esperança de Malcolm começou a aparecer quando um de seus médicos recomendou que ele entrasse em contato com professor David Ralph, especialista em construção de falos no Hospital Universitário de Londres, mais conhecido como o "mestre do pênis". "Isso me deu um vislumbre de esperança de que eu pudesse voltar a ser um cara normal", relembrou Malcolm.


Após entrar em contato com Ralph, o médico explicou que faria um novo pênis a partir da pele do braço de Malcolm, mas que o processo levaria dois anos. "Fiquei muito emocionado porque era uma chance de um novo começo", contou o mecânico ao saber da novidade. 


Os profissionais escolheram a pele do braço de Malcolm por causa da qualidade e da sensação da pele do local. Foi aí que os médicos retiraram um retalho da pele do braço esquerdo de Malcolm para criar seu pênis, a partir do próprios vasos sanguíneos e nervos do homem. Os médicos ainda fizeram uma uretra e instalaram dois tubos inflados com uma bomba manual para que Malcolm pudesse ter uma ereção mecânica. "Eu aceitei tanto que o apelidei de 'Jimmy'", afirmou Malcolm. O procedimento de Malcolm custou, ao todo, cerca de 50 mil euros (cerca de 338 mil reais) que foram pagos pelo sistema público de saúde da Inglaterra. 


Na hora da construção do pênis, o mecânico ainda afirmou que pediu para que os médicos fizessem um pênis duas polegadas (cerca de 5 centímetros) maior do que o original. "Muitos não podem dizer que têm um pênis de designer", brincou ele.


Mas, se engana quem pensa que a vida de Malcolm já foi resolvida. Isso porque, após construírem o pênis no braço do britânico, os médicos agora precisavam retirar o órgão do braço dele e implantar na pélvis do mecânico. A cirurgia inicialmente estava marcada para 2018, no entanto, ocorreram vários imprevistos com a equipe médica e com a saúde de Malcolm que fizeram com que a cirurgia fosse remarcada para abril deste ano. No entanto, por causa da pandemia do novo coronavírus, a operação foi remarcada novamente e, agora, o mecânico espera realizar a operação no final deste ano. Por causa disso, Malcolm "carrega" seu pênis em seu braço até hoje. 


"Não posso mentir, ter um pênis no braço por quatro anos é uma coisa realmente estranha de se viver. Mas estou convencido de que esse pênis será usado para o que foi construído", afirmou o mecânico. 

Veja também