Estudante picado por Naja sai da UTI e pode receber alta ainda nesta segunda

Família importou doses de soro antiofídico

Enviado Direto da Redação
Pedro Henrique Santos Krambeck saiu da UTI e já está no quarto, podendo receber alta nesta segunda (13)

Pedro Henrique Santos Krambeck saiu da UTI e já está no quarto, podendo receber alta nesta segunda (13)

Foto: Divulgação

O estudante Pedro Henrique Santos Krambeck, picado por uma cobra Naja, saiu da UTI no último sábado (11) e foi transferido para o quarto, podendo receber alta ainda nesta segunda (13). Em observação no Hospital Maria Auxiliadora, no Distrito Federal, a família do jovem optou por não divulgar o boletim médico de Pedro.

Para ajudar na recuperação do rapaz, a família importou dos Estados Unidos doses de soro antiofídico. O soro, assim como a cobra, é muito raro no Brasil, por isso especialistas foram mobilizados para este caso. No país, essa dose só estava disponível no Instituto Butantan, em São Paulo. Os médicos também enviaram todo o estoque disponível para salvar o estudante.

O caso

Pedro foi picado pela cobra Naja na terça (12) e foi levado rapidamente para o hospital. Como o estudante de veterinária não tem autorização para criar o animal, ele pode receber multa de até R$ 5 mil. Agora, investigadores da Delegacia de Combate à Ocupação Irregular do Solo e aos Crimes contra a Ordem Urbanística e o Meio Ambiente (Dema) suspeitam que a serpente tenha sido alvo de tráfico internacional de animais exóticos.

De acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), não há registros, nos últimos anos, de entrada legal de uma cobra dessa espécie no Distrito Federal. A naja está agora sob os cuidados do Zoológico de Brasília.

Veja também