Caso Marielle: investigação aponta ligação entre miliciano e acusado de matar a vereadora

Portal UOL teve acesso com exclusividade ao novo relatório

Enviado Direto da Redação
PM e MP encontram ligação entre miliciano morto na Bahia e homem acusado de matar a vereadora Marielle Franco

PM e MP encontram ligação entre miliciano morto na Bahia e homem acusado de matar a vereadora Marielle Franco

Foto: Divulgação



A Polícia Federal e o Ministério Público apontaram em novo relatório, pela primeira vez, ligação entre o miliciano Adriano da Nóbrega, morto na Bahia em meio à investigação de assassinato, e o PM acusado de matar a ex-vereadora Marilene Franco.



Em busca de respostas para desvendar o crime, a investigação aponta que Adriano, ex-chefe do Escritório do Crime, usava um estabelecimento de carros luxuosos para compras e vendas de veículos na barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio.



O miliciano teria feito algumas pesquisas no local e enviado mensagens para um homem de sua confiança para realizar transações. O homem em questão é Márcio Mantovano, empresário que foi preso acusado de desaparecer com armas de Lessa. Ronnie Lessa, PM preso acusado de ser o executor do crime.



Em relatório obtido com exclusividade pelo site UOL, foi possível ter acesso a partes do relatório. "O estabelecimento Garage Store é suspeito de transacionar com Adriano da Nóbrega, alvo da Operação Intocáveis, e foi pesquisado por Ronnie Lessa junto à ferramenta Google".



No novo relatório também é possível perceber que Adriano e Ronnie tinham uma relação próxima e frequentavam as mesas festas no Rio. Porém, as investigações ainda não conseguiram identificar uma elo mais forte que possa comprovar a proximidade deles.

Veja também