Fiscais sanitários são guardiões da Saúde Pública

A atuação é fundamental em todas as esferas

Enviado Direto da Redação
A atuação dos fiscais sanitários é fundamental em todas as esferas

A atuação dos fiscais sanitários é fundamental em todas as esferas

Foto: Divulgação

Já imaginou um mundo no qual as pessoas morrem cada vez mais por toxinfecções provocadas pela ingestão de alimentos contaminados? Ou, então, uma proliferação desenfreada de doenças transmitidas dos animais aos seres humanos, as chamadas zoonoses?


Pois bem, este terrível cenário só não é real porque existem profissionais habilitados para resguardarem a saúde da população. Eles são os fiscais sanitários.


São médicos-veterinários, zootecnistas, engenheiros agrônomos, biólogos, técnicos em agropecuária e outros profissionais concursados, que atuam na fiscalização em propriedades rurais, comércio de produtos de interesse agropecuário, passando por agroindústrias e outras áreas de beneficiamento, além de estabelecimentos veterinários, como pet shops, clínicas, consultórios e hospitais veterinários, apenas para citar alguns. 


Atualmente, no estado do Rio de Janeiro, são mais de 40 mil propriedades rurais, 434 agroindústrias, além de diversos estabelecimentos que comercializam insumos, tais como vacinas e agrotóxicos, e centenas de profissionais autônomos, que prestam serviços à sociedade, e que estão sob a fiscalização da Secretaria de Estado de Agricultura, por meio da atuação dos fiscais da Defesa Agropecuária. 


“Este trabalho visa preservar, com os respectivos sistemas de controle, a sociedade de doenças que comprometam a qualidade de vida do consumidor, bem como o meio ambiente, tanto na fiscalização dos produtores e empresas, quanto no acompanhamento do exercício profissional”, ressalta o secretário de Estado de Agricultura, Marcelo Queiroz. 


Também para garantir a saúde pública, a proteção da sociedade e o bem-estar dos animais, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro (CRMV-RJ), por meio da Lei nº 5.517/68, fiscaliza, atualmente, 7.095 empresas do segmento veterinário em todo o estado. 


“Prezamos sempre por uma fiscalização orientativa. Nosso objetivo é que estes estabelecimentos estejam aptos a prestar um ótimo serviço para o cidadão, zelando sempre pela saúde pública, a sanidade e o bem-estar dos animais atendidos. Para isto, o trabalho dos agentes de fiscalização é fundamental, pois eles são nossos olhos e porta-vozes para fazer cumprir a legislação vigente”, destaca o presidente do CRMV-RJ, Romulo Spinelli, auditor fiscal federal agropecuário aposentado do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 


A atuação dos fiscais sanitários é fundamental em todas as esferas: federal, estadual e municipal, desde a vigilância e controle de zoonoses até erradicação de doenças por meio da execução dos programas sanitários.

Veja também