Funcionários do Cemitério São Miguel trabalham sem material adequado, afirma denúncia

Uma fonte afirma que os trabalhadores realizam os serviços funerários sem máscaras ou luvas

Enviado Direto da Redação

Foto: Divulgação


Por Tatiane Gomes*


Nesta segunda-feira (29), familiares que tiveram um ente querido enterrado recentemente no Cemitério São Miguel, no bairro de mesmo nome, em São Gonçalo, relataram a O SÃO GONÇALO que funcionários do local fazem exumação de cadáveres e realizam o sepultamento sem qualquer tipo de material de proteção.



Segundo uma fonte, que não teve sua identidade revelada, o caso mais recente foi neste último domingo (28). "Minha tia foi [no enterro] e ela quem forneceu as máscaras e luvas para eles fazerem a exumação de corpos. Não têm nenhum material adequado para trabalharem lá", relatou.



Em períodos de pandemia, situações como enterros e exumações podem vir a contaminar trabalhadores com o novo coronavírus. A contaminação pode vir não somente pelo contato com familiares dos falecidos presentes no local, mas também pelo contato com o corpo, que continua contaminado após a morte, caso tenha contraído a doença antes de vir a óbito.



Em razão disso, o uso de equipamentos de proteção individual, como máscaras e luvas, se tornam essenciais para a proteção de trabalhadores do ramo.



Procurada para se posicionar a respeito do caso, a Prefeitura de São Gonçalo não se posicionou até o fechamento desta reportagem.


*Estagiária sob supervisão de Cyntia Fonseca

Veja também