UFF e Fiocruz realizam parceria para descobrir como o coronavírus se espalhou por Niterói

Primeiros infectados serão contatados por telefone

Enviado Direto da Redação
Serão feitos testes para covid-19 nos domicílios dos entrevistados

Serão feitos testes para covid-19 nos domicílios dos entrevistados

Foto: Divulgação



Pesquisadores do Departamento de Epidemiologia e Bioestatística do Instituto de Saúde Coletiva, do Grupo GET da Universidade Federal Fluminense (UFF) e também da Escola de Enfermagem se uniram à Fiocruz para investigar as primeiras ocorrências de coronavírus na cidade de Niterói e como ocorreu a transmissão.



A pesquisa, que utiliza dados de março a abril de 2020 da Fundação Municipal de Saúde (FMS), tem como objetivo aprimorar ações e intervenções de prevenção e controle da pandemia no município. A pesquisa deve revelar como a doença atingiu Niterói e se espalhou pela cidade. Também terá um número estimado de infectados e assintomáticos, realizando projeções do número de casos confirmados e de mortes. 



Por telefone, os pesquisadores entrarão em contato com aqueles que testaram positivo no período que abrange os dados da pesquisa, além de seus parentes e amigos próximos. A FMS se dispôs a realizar testagens no domicílios. Depois de os resultados serem catalogados, será feito um mapeamento dos casos totais por gênero, faixa etária e nível socioeconômico. Assim, com as informações, serão formadas curvas epidemiológicas ajustadas para casos confirmados, subnotificações e número total de infectados.



"Estas informações são de grande interesse público e acadêmico, principalmente para os gestores municipais, pois podem auxiliar na orientação da tomada de decisões baseadas nas melhores evidências científicas disponíveis", diz Jackeline Lobato, professora da UFF e coordenadora do projeto. 



Segundo a coordenadora, as ligações vão durar no máximo 15 minutos e, após a entrevista, será marcada uma visita para realização do exame.



Inicialmente, 200 casos confirmados serão considerados. Com base em estimativas, o número de contatos próximos para cada caso é de quatro pessoas. Logo,  amostragem inicialmente estimada seria de 1.000 participantes, sendo 200 casos e 800 contatos, com esse total podendo ser ampliado. 

Veja também