Ao som de enredo da Porto da Pedra, sambista Claudinho Guimarães é sepultado em Maricá; veja o vídeo

Músico integrou a parceria que venceu a disputa pelo samba-enredo do Tigre em 2019

Enviado Direto da Redação
Claudinho Guimarães deixa três filhos e esposa

Claudinho Guimarães deixa três filhos e esposa

Foto: Divulgação


"Sou Porto da Pedra, chegou o momento! No berço do samba, nosso apogeu. Guerreiro e bamba, negro em movimento. Esse mundo é meu". Ao som do enredo do ano passado da Porto da Pedra, o sambista Claudinho Guimarães foi sepultado, na tarde desta segunda-feira (15), no Cemitério Municipal de Maricá, no Centro. Ele deixa três filhos e esposa. 


Integrante da parceria que venceu a disputa pelo samba-enredo do "Tigre de São Gonçalo" em 2019, o sambista, compositor e músico morreu, na noite este domingo (14), vítima de um infarto. Ele chegou a ser socorrido e levado para o Posto de Saúde no Jardim Atlântico, em Itaipuaçu, mas não resistiu e faleceu durante o atendimento médico. 


Claudinho Guimarães tinha vários sucessos gravados nas vozes de grandes sambistas como Zeca Pagodinho, que gravou os sucessos “Quando a Gira Girou”, “Lá vai Marola” e Shopping Móvel”; Alcione “Mangueira é Mãe”; além de Beth Carvalho, Leandro Sapucahí e Diogo Nogueira com a música “Da Melhor Qualidade”.


Em uma live apresentada na tarde deste domingo, o cantor Diogo Nogueira prestou uma homenagem a Claudinho Guimarães cantando a música “Quando a Gira Girou”.


Veja também