Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar down Euro down
Search

Família questiona demora no atendimento a idosa com suspeita de covid-19 em SG

Diagnosticada com anemia e pneumonia, ela demorou mais de 9 horas para conseguir um exame

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 26 de abril de 2020 - 18:13
Idosa esperou de 13h às 21h por uma tomografia
Idosa esperou de 13h às 21h por uma tomografia -

Por Daniel Magalhães*

Uma família de São Gonçalo passou por momentos angustiantes para conseguir um atendimento no Pronto-Socorro da cidade, no bairro Zé Garoto. Segundo amigos, Regina Pessanha, de 64 anos, foi à unidade de saúde na tarde deste sábado (25), por volta de meio-dia, após apresentar sintomas do novo coronavírus. Após ser diagnosticada com pneumonia e anemia, funcionários da unidade recomendaram, por volta das 13h uma tomografia, que seria feita posteriormente no mesmo local, além do teste de confirmação do coronavírus.



Horas se passaram e Regina e outros pacientes que esperavam diferentes exames não foram atendidos. Segundo parentes, a idosa chegou a esperar até às 21h para conseguir uma resposta sobre a realização do exame médico. Um dos amigos dos familiares da idosa, Ricardo Pará, conseguiu acesso a Secretaria de Saúde do município e, segundo ele, a situação 'começou a andar'.



"Em 40, 50 minutos, começaram as ambulâncias a levarem os pacientes do Zé Garoto para o Hospital Geral, porque só lá conseguem fazer esse exame. Aí as coisas começaram a andar. Um por um, começando pelos casos mais emergentes, porque tinha outros casos lá desde cedo. Tinha paciente idoso, com AVC. Uma desordem só", disse Ricardo. 


O Pronto-Socorro de São Gonçalo, por meio de assessoria de imprensa, informou que "a paciente foi acolhida e internada na unidade. E que após colher swab (cotonete estéril que serve para coleta de exames microbiológicos com a finalidade de estudos clínicos ou pesquisa), foi transferida para o Hospital Luiz Palmier, referência no tratamento aos pacientes com suspeita ou já infectados pelo covid-19".

Estagiário sob supervisão de Cyntia Fonseca*

Matérias Relacionadas