Instagram Facebook Twitter Whatsapp
Dólar up 5,0950 Euro up 5,2469
Search

Covid-19 e saúde mental: como o isolamento social impacta na mente das pessoas

Voluntários do CVV e profissionais da psicologia se adaptaram para oferecer atendimento psicológico a distância

relogio min de leitura | Escrito por Redação | 25 de abril de 2020 - 13:51
Com a quarentena anunciada em março e estendendo-se até o presente momento, transtornos psicológicos podem vir a se tornar cada vez mais recorrentes na população
Com a quarentena anunciada em março e estendendo-se até o presente momento, transtornos psicológicos podem vir a se tornar cada vez mais recorrentes na população -

Por Tatiane Gomes*

A crise em razão do Covid-19 já atingiu diversos países ao redor do mundo e, consequentemente, também se instalou no Brasil, impactando os setores econômico, educacional, social e até mesmo político. No entanto, uma área da saúde em específico também vem sendo afetada em boa parte da população: a saúde mental.

Devido a fácil propagação da doença, aglomerações e espaços sociais tiveram seu fechamento decretado por tempo indeterminado. Após o surgimento de casos no país, diversos estados decretaram a suspensão de serviços não essenciais e a proibição de eventos com alto número de pessoas.

Com a quarentena anunciada em março e estendendo-se até o presente momento, transtornos psicológicos como ansiedade, depressão e síndrome de pânico, estresse pós-traumático podem vir a se tornar cada vez mais recorrentes nas pessoas.

O artigo 'Impacto da Covid-19 na saúde mental da população' escrito pelo Dr. José J. Mendonça Velásquez, coordenador de investigação do departamento de Psiquiatria e Saúde Mental da universidade de medicina UNAM, fala sobre possíveis efeitos causados pela quarentena.

"Em vários estudos, particularmente em uma revisão sobre os efeitos psicológicos da quarentena, são descritos efeitos psicológicos negativos, incluindo sintomas de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), confusão e raiva. O impacto da quarentena aumenta de acordo com a sua duração. Muitos dos sintomas estão relacionados com o medo de se infectar, frustração, tédio, falta de suprimentos, informações incorretas, perdas financeiras e, sobretudo, com o estigma", escreveu o médico.

No artigo, Velásquez também ressalta que "pessoas em quarentena têm mais probabilidade de relatar exaustão, desapego, ansiedade, deterioração do desempenho e resistência a trabalhar' e 'em longo prazo, podem chegar a apresentar TEPT (Transtorno de Estresse Pós-Traumático) e depressão".

Este fato se comprova no município de São Gonçalo através de depoimentos do Centro de Valorização à Vida (CVV) da cidade. A entidade tem recebido diariamente, através do número 188, diversas ligações de pessoas que relatam estarem ansiosas, deprimidas e com sensação de desamparo em razão do isolamento imposto pela pandemia.

"No atendimento, o voluntário procura desenvolver de forma empática os sentimentos e os assuntos trazidos pelas pessoas, por meio de uma escuta solidária e que favoreça o desabafo e o alívio das tensões emocionais apresentadas. De maneira que não aconselhamos ou direcionamos para atendimento específico", explicou João Alexandre Gomes, membro da comissão de divulgação do CVV.

Segundo João Alexandre, devido ao coronavírus, o CVV teve de se adaptar às recomendações das autoridades de saúde com a redução de voluntários nos postos de atendimento e suspensão de atendimentos presenciais, além do investimento em soluções tecnológicas que permitem a muitos voluntários atenderem pessoas com total sigilo e segurança por e-mail, chat ou telefone de forma gratuita e disponível 24h por dia.

"Por sabermos que mais de 90% dos casos de suicídios estão relacionados aos transtornos mentais, reforçamos sempre, de forma empática, a importância do cuidado que todos devemos ter com nossa saúde emocional", destacou o voluntário da CVV.

Sabendo a importância de se cuidar da saúde mental e em vista da onda de distúrbios psicológicos por conta da quarentena, percebe-se a necessidade de procurar por profissionais na área mental. Mas como se tratar com esses profissionais sem sair de casa?

A psicologia contemporânea: terapias online

Em tempos onde sair de casa pode oferecer grande risco a saúde, a 'chave' para continuar e iniciar tratamentos relacionados a mente está na tecnologia: a terapia online.

"É um recurso muito necessário no momento atual, pois o psicólogo pode atuar evitando o pânico, a ansiedade e depressão, sem que ninguém (paciente-psicólogo) se exponha a riscos de contaminação. A demanda por atendimentos psicológicos cresceu muito depois da pandemia. A maioria das pessoas estão mais ansiosas, deprimidas, com sentimento de solidão ao se manter distante de outras pessoas", explicou a psicóloga Camilla C. Rodrigues, formada na UFF com diferencial na modalidade de atendimento online, com selo do ITO (Instituto de Terapia Online).

Segundo a psicóloga, os sintomas mais comumente desenvolvidos pelas pessoas durante a quarentena são transtornos de ansiedade, além dos quadros de depressão e pânico. Pacientes que já tinham transtornos psiquiátricos podem ter seus estados agravados.

OMS divulga instruções para evitar pânico entre população

A OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou recentemente algumas diretrizes que auxiliaram a manter o bem estar psicológico da população que vem passando pela quarentena e evitaram a histeria generalizada causada pelo medo da doença, são elas:

• Evite assistir, ler ou ouvir notícias de maneira descontrolada;

• Procure informações pontuais que busquem lhe fornecer medidas práticas e adequadas para proteger a si mesmo e a seus familiares;

• Ao buscar atualizações das notícias, faça-o em horários específicos, estabelecendo qual fonte de informações lhe parece ser mais confiável;

• Como o sistema imunológico responde às oscilações emocionais, uma recomendação é certa: cuide de sua estabilidade emocional, pois, ao fazer isso, estará assegurando um dos melhores trabalhos de base e, principalmente, reforçando seu sistema imunológico.

Como manter a saúde mental durante o isolamento?

A psicóloga Camilla também dá alguns dicas para evitar transtornos e cuidar de seu bem estar psicológico de forma saudável:

• Mantenha uma rotina mais flexível com hábitos saudáveis;

• Evite os excessos de informações;

• Durma e se alimente bem;

• Tente fazer uma atividade que você goste durante o dia;

• Faça atividades que aumente a fé e a esperança como orar, meditar, rezar e pensar em coisas boas;

• Nesse período de isolamento social, mantenha contato com pessoas queridas por ligações e vídeo conferência;

• Compreenda que nem tudo está ao seu alcance;

• Evite comparações, principalmente nas redes sociais;

• E cuide de suas emoções, busque ajuda profissional, para prevenir transtornos mentais e aumentar a sensação de bem estar nesse período difícil.

Caso queira receber dicas de saúde mental gratuitas toda semana no seu celular, a psicóloga Camilla disponibiliza o número (21) 98728-8821. Basta enviar a mensagem "quero receber dicas de saúde emocional”. Já o número do telefone do CVV, em todas as regiões do Brasil, é o 188.

Estagiária sob supervisão de Cyntia Fonseca*

Matérias Relacionadas