Máscaras de algodão para coronavírus: eficazes ou não?

O uso das versões cirúrgicas segue indicado apenas para profissionais de saúde

Escrito por Redação 21/04/2020 08:22, atualizado em 21/04/2020 09:32
. Foto: Divulgação


Em entrevista coletiva concedida no dia 1º de abril, o ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta recomendou que a população geral, se precisar sair de casa, passe a utilizar máscaras caseiras como mais uma forma de se proteger do novo coronavírus. No estado do Rio, a medida será obrigatória a partir desta quinta-feira (23). O uso das versões cirúrgicas segue indicado apenas para profissionais de saúde e casos específicos, de acordo com o governo brasileiro.


Segundo especialistas, é comum que as orientações de prevenção se modiquem conforme a pandemia avança, já que a disseminação da Covid-19 e o conhecimento sobre a doença mudam.


Em uma coletiva de imprensa do dia 3 de abril, o diretor executivo do Programa de Emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, afirmou: “Em certos contextos, utilizar esses itens para cobrir as vias aéreas serve como barreira mecânica e não é uma má ideia”.


De acordo com um documento oficial da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), essa é uma maneira de diminuir a disseminação do vírus por indivíduos assintomáticos ou pré-sintomáticos. No entanto, sem outros cuidados complementares, ela não protege o usuário, já que não possui capacidade de filtragem.


Michael Ryan fez questão de avisar que as máscaras caseiras devem ser um complemento aos cuidados tradicionais para evitar o novo coronavírus.


“O uso da máscara não nega a necessidade de lavar as mãos, de distanciamento físico, de ficar em casa se as autoridades pedirem”, destacou.


Ou seja, não é eficaz apenas cobrir o rosto com o tecido e achar que a vida voltou ao normal. A utilização das máscaras caseiras é indicada exclusivamente para as situações em que realmente seja necessário sair do domicílio, como para ir ao mercado, por exemplo.


O Ministério da Saúde recomenda, ainda, ficar com a máscara no rosto, por, no máximo, duas horas. Então, se for passar mais tempo na rua, é importante levar uma reserva e ter uma sacola em mãos para guardar a suja.


O importante é que a máscara seja feita com camadas duplas, nas medidas corretas, cobrindo totalmente a boca e nariz (cerca de 21 centímetros de altura e 34 cm largura) e que esteja bem ajustada ao rosto, sem deixar espaços nas laterais. Se for de TNT, a máscara deve ser descartada a cada uso. As mais usuais são as feitas de tricoline (algodão).

Gostou da matéria?
Compartilhe!

Veja também

Mais lidas