Justiça permite que dois deputados da 'Furnas da Onça' retomem mandatos

Os deputados são investigados em um desdobramento da Operação Lava Jato

Enviado Direto da Redação
Os parlamentares haviam sido afastados de seus cargos após uma decisão judicial

Os parlamentares haviam sido afastados de seus cargos após uma decisão judicial

Foto: Divulgação


A Justiça concedeu uma liminar permitindo que dois dos cinco deputados envolvidos na Operação Furnas da Onça, um desdobramento da Operação Lava Jato, retomem seus mandatos na Assembleia Legislativa. Os parlamentares haviam sido afastados de seus cargos após uma decisão judicial do Ministério Público.


Os beneficiados são Marcos Abrahão (Avante) e Chiquinho da Mangueira (PSC), atualmente soltos. Em justificativa à decisão, o juiz Rogério de Oliveira Souza, da 22ª Câmara Cível, ressaltou que o afastamento dos réus prejudica o andamento do trabalho na Assembleia.


"O prejuízo para os impetrantes e, por definição política, de seus eleitores, é evidente, pois jamais poderão recuperar, politicamente, as sessões das quais não participaram, seja em plenárias, seja em comissões ou demais eventos típicos da atividade parlamentar", disse.


Os cinco deputados foram soltos em outubro do ano passado, por 39 votos a 25, em plenária da Alerj. Eles foram presos em novembro de 2018 e cumpriam detenção em regime fechado. Apenas Chiquinho da Mangueira estava em prisão domiciliar.


A condição imposta na ocasião foi que os deputados seriam libertados mas não poderiam mais voltar aos seus cargos políticos ou receber salário. Todos tiveram suas cadeiras ocupadas por suplentes.

Veja também